“Miserere” é áspero, negro e mórbido, mas também muito gracioso e descaradamente ufano. Wolves Den “Miserere”

Editora: Trollzorn Records
Data de lançamento: 15.05.2020
Género: black metal
Nota: 4/5

“Miserere” é áspero, negro e mórbido, mas também muito gracioso e descaradamente ufano.

Ao segundo álbum, os Wolves Den elevam a sua sonoridade a um novo nível, um que é mais glorioso, épico até, sem nunca descurarem a sujidade e a agressividade do seu black metal melódico.

“Miserere” é uma viagem sónica infernal entre a melancolia e a loucura com tudo muito bem desenhado através de leads de guitarra muitíssimo melódicos que dão a toda esta negritude auditiva e sensorial uma elegância omnipresente e bastante cativante. Em auxílio, conseguimos ouvir alguns arranjos atmosféricos que criam um ambiente ainda mais sinistro e sombrio, complementando assim o cariz épico deste disco. Também muito na frente ouvimos uma voz violenta e vomitada que capitaliza todo o teor black metal de um álbum bem composto e bem executado que nos agarra facilmente, estando nós perante uma possessão que nenhum exorcista conseguirá pôr termo.

“Miserere” apresenta uma camaradagem musical muito coesa, com músicas plenas de sentido criativo e estrutural. Leais às bases do black metal, estes bávaros não se deixam ficar pelas noções do passado e assim foram capazes de alcançar uma sonoridade muito particular, algo que em poucos anos nos permita dizer que se trata de Wolves Den à mínima audição. Tudo junto, “Miserere” é áspero, negro e mórbido, mas também muito gracioso e descaradamente ufano, porque, pelo que se ouve, não devem nada a ninguém. Audição obrigatória!