Em 1988, com "…And Justice for All", os Metallica já possuíam um estatuto muito forte no panorama metal mundial, algo que tinha vindo a... Metallica “One”: domínio na MTV, choque nos Grammy Awards

Em 1988, com “…And Justice for All”, os Metallica já possuíam um estatuto muito forte no panorama metal mundial, algo que tinha vindo a ser construído desde 1981 com álbuns como “Master of Puppets” (1986).

O disco de 1988 não só é um dos mais adorados pelos seguidores do grupo (ainda que muitos torçam o nariz à falta de presença do baixo do recém-chegado Jason Newsted), como inclui também o single que originou o primeiro vídeo dos californianos – “One”.

Estreado a 22 de Janeiro de 1989, o videoclipe para a música composta por James Hetfield e Lars Ulrich é apresentado como um manifesto anti-guerra que conta a experiência de sofrimento de um soldado mutilado na Primeira Guerra Mundial. Sem membros físicos, sem visão e sem fala, a personagem incarnada na voz de Hetfield implora a deus que a sua agonia termine, morrendo.

Todavia, a ideia conceptual não é originária de Hetfield e Ulrich, sendo que os dois músicos de Metallica se inspiraram no livro “Johnny Got His Gun” (1939) que posteriormente, em 1971, se transformou em filme. Aliás, o vídeo do single inclui mesmo imagens dessa peça cinematográfica após os Metallica terem adquirido os seus direitos.

Ainda que uma franja de fãs tenha acusado os Metallica de serem uns vendidos, iniciando-se uma das várias guerras entre fãs, banda e indústria (viria ainda a fase mais comercial, que muitos não perdoam, e o confronto com a Napster), o clipe de “One” escalaria até ao topo das tabelas da MTV.

Com tamanho sucesso (“…And Justice for All” era, à época, o disco mais vendido dos norte-americanos) e presença na maior estação de música, os Metallica não conseguiram o Grammy Award para melhor performance hard-rock / metal, sendo ultrapassados pelos não-metal Jethro Tull, uma situação ainda hoje imperdoável pelos mais fanáticos metaleiros. A academia redimir-se-ia em 1990, quando os galardões para hard-rock e metal foram separados. Em 1992, os Metallica voltariam a vencer o prémio, com Lars Ulrich a dizer: «Temos de agradecer aos Jethro Tull por não terem lançado um álbum este ano.»

“One” continua a fazer parte das setlists dos Metallica, sempre com um ambiente bélico circundante. Uma das mais memoráveis performances está presente no álbum ao vivo “S&M” (1999) com a San Francisco Symphony Orchestra.