Ora com groove, ora com linhas cortantes, as guitarras são a bússola de um álbum abrasivo e furioso que muito se influencia no estimado... Terminal Nation “Holocene Extinction”

Editora: 20 Buck Spin
Data de lançamento: 07.08.2020
Género: death metal
Nota: 3/5

Ora com groove, ora com linhas cortantes, as guitarras são a bússola de um álbum abrasivo e furioso que muito se influencia no estimado som sueco.

Para muitos de nós, as ameaças actuais são reais, são mais do que conspirações perpetradas nas redes sociais. É isso mesmo que os Terminal Nation demonstram com o novo álbum “Holocene Extinction” – pandemia, brutalidade policial, racismo, cleptocracia, Donald Trump. Para a banda, a extinção está próxima e é merecida para uma civilização que simplesmente não quer ser salva.

Tudo isto passa de palavras e conceitos para música através de um death metal em modo down-tuned em que as guitarras gordas, do tipo motosserra, ocupam a maior fatia do disco. Ora com groove, ora com linhas cortantes, as guitarras são a bússola de um álbum abrasivo e furioso que muito se influencia no estimado som sueco, em que, aqui, podemos encontrar referências de At the Gates ou Dismember, mas a secção britânica também acaba por ser incorporada com reminiscências de Benediction, Bolt Thrower e Napalm Death, sendo que a inspiração nestes últimos é mais evidente quando a banda aborda aspectos híbridos de grindcore e hardcore punk.

Com intenção e com uma sonoridade que pretende ser própria, crê-se que estes norte-americanos perdem um pouco do seu ímpeto quando enveredam por secções mais lentas, tornando-se quase enfadonho e ansiando-se pelos momentos mais hardcore e powerviolence.