Em menos de cinco anos de existência e com um álbum de puro heavy metal deveras cativante, os Stormburner só mostram tendência a crescer... Stormburner: mitologia nórdica, versão heavy metal

Origem: Suécia
Género: heavy metal
Último lançamento: “Shadow Rising” (2019)
Editora: Pure Steel Records
Links: Facebook | Instagram
Entrevista: Diogo Ferreira | Review: João Correia

Em menos de cinco anos de existência e com um álbum de puro heavy metal deveras cativante, os Stormburner só mostram tendência a crescer no panorama.

«O nosso objectivo era simplesmente compor heavy metal.»

Objectivos: «O nosso objectivo era simplesmente compor heavy metal. Nunca tivemos ideias pré-concebidas sobre como queríamos que soasse. Apenas puro aço auditivo. Decidimos desde o início, quando formámos a banda em 2016, que dedicaríamos o nosso tempo e estaríamos 100% satisfeitos com tudo no álbum antes de lançá-lo. Tem a ver com tudo, como músicas, letras, produção e capa. Por exemplo, contratámos Ken Kelly (Manowar, Kiss, Rainbow) para fazer a capa. Contratámos o conhecido Ronny Hemlin (Steel Attack, Tad Morose) como nosso produtor, para garantir que obtínhamos a melhor produção possível. As pessoas podem esperar nada menos do que um álbum de heavy metal construído com pura paixão e dedicação.»

Conceito: «Queríamos incorporar a nossa tradição ancestral na letras e na capa, mas, para além disso, não há temas distintos. Só queríamos fazer um álbum épico de heavy metal, digno de abrigar esses contos e lendas.»

Evolução e referências: «Uma vez que é o nosso álbum de estreia, a nossa evolução musical ainda está para vir, mas temos a certeza de que estará dentro da mesma esfera do heavy metal. As nossas principais influências são Manowar, Judas Priest e Saxon, mas existem muitas outras bandas da NWOBHM que também nos inspiraram.»

Review: Conhecida por outras lides mais agressivas, a Suécia também nos oferece heavy/power metal de altíssima qualidade, como é fácil de constatar ouvindo os Stormburner. “We Burn”, de “Shadow Rising” (2019), é um exercício de metal clássico em que o principal instrumento é a voz altamente aguda e técnica de Micke Stark, que muito ajuda os outros instrumentistas a atingirem outro patamar. Se a tua onda é puro metal de meados dos anos 1980, se veneras Helloween e Sanctuary e até Agent Steel, dá uma oportunidade aos Stormburner. De nada.