A fazerem música há mais de 20 anos, o projecto mais recente destes sul-americanos sediados na Europa chama-se Ancient Settlers. A... Ancient Settlers: prelúdio da queda

Origem: Espanha / França / Portugal
Género: melodic death metal
Último lançamento: “Autumnus” (EP, 2021)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp

A fazerem música há mais de 20 anos, o projecto mais recente destes sul-americanos sediados na Europa chama-se Ancient Settlers. A proposta é simples: bom death metal melódico feito com honestidade.

«Somos metaleiros, fazemos a música de que gostamos, vivemos da maneira que queremos.»

Objectivos: «“Autumnus” pode ser considerado uma mistura de raiva e tristeza, tudo combinado com guitarras de death metal melódico. Incluímos quatro músicas com muitas variações (instrumental, acústico, agressivo, rápido ou com groove) que achamos serem uma apresentação da banda. O primeiro LP sai no próximo Verão.
E como qualquer banda, tentamos alcançar um público maior que não se consegue no circuito underground. Aparecermos em cena com a nossa mensagem pode ser considerado o nosso objectivo principal.
Porém, tentar definir o que as pessoas podem esperar de nós é muito difícil… Apenas oferecemos uma proposta honesta – somos metaleiros, fazemos a música de que gostamos, vivemos da maneira que queremos e a nossa música reflecte esse espírito sempre duma perspectiva crítica em relação a todos os problemas que vemos na nossa sociedade.»

Conceito: «É um pouco emaranhado. Cada música segue a temática da queda do Homem na sociedade futura. E também têm uma personalidade própria, já que se adicionam muitas letras pessoais. E essas letras são as melhores, não há explicação. Portanto, deixa o final da história em aberto, para quem ouve decidir. Isto torna a banda bastante única nesse sentido e estamos a estender esse mesmo estilo no próximo LP.»

Evolução e influências: «Fazemos música há pelo menos 20 anos – talvez mais [risos] – em diferentes bandas antes de começarmos Ancient Settlers. Por exemplo, o Antony Hämäläinen já esteve em Nightrage e agora é vocalista dos Meridian Dawn. No início, nos anos 90, quase todos começámos a ouvir bandas como Death, Obituary, Sepultura, Morbid Angel, Kreator ou Carcass. E quando ouvimos pela primeira vez a magia de “Slaughter of the Soul” dos At The Gates… mudou tudo! A partir daí explorámos o caminho do death metal melódico (Soilwork, In Flames, Dark Tranquillity, Mors Principium Est, Norther) e do thrash/death metal (Arch Enemy, The Absence). E agora estamos a gostar da nova onda do som death metal mais moderno com Arsis, Decapitated e The Black Dahlia Murder. Também há uma influência relevante em bandas de doom metal. Como podem ver, há muitas referências musicais no nosso conceito. [risos]
Em retrospectiva, achamos que é muito bom analisar como evoluímos enquanto músicos nas últimas duas décadas e ver o que está a acontecer agora com Ancient Settlers. Mas a melhor maneira de o compreender é ouvir “Autumnus” e esperar-se alguns meses para se ouvir o novo álbum.»

Review: Oriundos da Venezuela mas sediados na Europa, os Ancient Settlers, formados em 2020, trazem-nos um death metal melódico bastante maduro que será fortemente indicado para fãs de Insomnium e Soilwork. Riffs cortantes, vozes perceptíveis, percussão nuclear e muita melodia aliada a melancolia é tudo o que recebemos de bom grado.