Não se pode afirmar que a estreia dos dinamarqueses Mother of All não aquece nem arrefece de todo, contudo, quando aquece,... Mother of All “Age of the Solipsist”

Editora: Black Lion Records
Data de lançamento: 23.04.2021
Género: melodic death metal
Nota: 3/5

Não se pode afirmar que a estreia dos dinamarqueses Mother of All não aquece nem arrefece de todo, contudo, quando aquece, é somente por breves momentos.

Há muito tempo que o death metal melódico da escola de Gotemburgo – entenda-se grupos como In Flames na sua face mais áurea ou At The Gates – não se faz sentir nos novos nomes que vão aparecendo de quando em vez. Provas? Pois bem, temos aqui mais uma.

“Age of the Solisispt” não é de forma alguma um disco mau, mas também não é propriamente um lançamento que nos dê vontade de carregar no botão de replay aquando do fim de uma audição.

Há momentos capazes de despontar algum entusiasmo, sim – aliás, um desses momentos ocorre na primeiríssima “Autumn”. A faixa começa com um pequeno riff de guitarra acústica, que por sua vez abre caminho para o todo o trabalho de composição, de facto, minucioso, bastante chamativo e que ainda cativa pelos seus dois solos de guitarra melodiosos, existindo uma certa toada épica. A meio caminho, a epicidade recupera-se, curiosamente na faixa homónima. E a par das composições já mencionadas, “At the Edge of a Dream” lá consegue despertar algo, graças ao seus pequenos piques que demonstram algum peso.

Agora, no que respeita a temas como “We Don’t Agree” ou “Curators of Our World Scope”, estes parecem já terem sido ouvidos num outro registo qualquer de uma outra banda. E quanto à penúltima “Blood Still Owed”, para além de se enquadrar neste perfil mais desinteressante, tem demasiados “piece of shit” para o gosto dos ouvidos mais maduros.

Em suma, não se pode afirmar que a estreia dos dinamarqueses Mother of All não aquece nem arrefece de todo, contudo, quando aquece, é somente por breves momentos, exceptuando, novamente, a faixa inicial que nos atrai de início ao fim.