“Cursed Be Thy Kingdom” é a música do diabo, sim, mas do que veste Prada, que exala elegância por onde passa,... Bewitcher “Cursed Be Thy Kingdom”

Editora: Century Media Records
Data de lançamento: 16.04.2021
Género: black metal / heavy metal / rock n’ roll
Nota: 4/5

“Cursed Be Thy Kingdom” é a música do diabo, sim, mas do que veste Prada, que exala elegância por onde passa, mesmo que para trás fique cinza no chão e nos olhos. Amaldiçoado seja o vosso reino!

Quando te encontras numa encruzilhada, de caras com o diabo, só tens uma escolha: optar pelo caminho que te é oferecido à esquerda. O demónio sempre foi demasiado sedutor e forte – e o inferno tem, sem dúvida, a melhor música.

Do Estado do Oregon, EUA, os mortos-vivos que compõem a trupe chamada Bewitcher fizeram um pacto com Lúcifer e têm trilhado os caminhos negros desde 2013. Agora, em 2021, avançam com o terceiro ritual “Cursed Be Thy Kingdom”, o primeiro a partilhar comunhão com a diocese Century Media Records.

O diabo está sempre pronto a fazer-te assinar mais um contrato repleto de promessas, mas com contrapartidas escritas no fim, com aquelas letras minúsculas que nem vês – ou que não te importas. Desta vez, os enviados com o documento, que contém 10 itens, são os Bewitcher e o seu black metal meets rock n’ roll.

Sabes aqueles álbuns que te fazem dizer ‘alto e pára o baile’? Este é um deles. Da introdução que cruza um ambiente de bruxaria com música country partimos para o real primeiro sacramento em “Death Returns…” e a amarração está feita. Não há retorno! A energia e a musicalidade dos Bewitcher são contagiantes – infecciosas mesmo! Isto é puro rock n’ roll dos infernos que te vai obrigar ao headbanging possuído e ao air drumming imparável – durante uns minutos vais ser a Regan do “Exorcista”.

Com riffs altamente cativantes que tanto te põem em territórios heavy metal como a seguir se afundam em segmentos enegrecidos na onda do black metal mais punk, este registo é como se os Motörhead, os Saxon ou os Accept tivessem assinado o tal acordo com o diabo, transformando-se depois nos Bewitcher – sim, o elogio é assim tão glorioso. E quando querem diversificar saem desses planos mais frenéticos e envolvem-se em neblinas pseudo-pacíficas influenciadas por Blue Öyster Cult e, por conseguinte, Ghost.

Indicados para fãs de Tribulation – só que aqui sendo-se mais punk e menos gótico –, os Bewitcher são uma banda a ter-se muito, mas mesmo muito, em conta. “Cursed Be Thy Kingdom” é a música do diabo, sim, mas do que veste Prada, que exala elegância por onde passa, mesmo que para trás fique cinza no chão e nos olhos. Amaldiçoado seja o vosso reino!