Sete anos depois, os australianos Raven Black Night voltam à carga com o seu heavy/doom metal cru e áspero. Para fãs de Black Sabbath,... Raven Black Night: nas asas dos corvos

Origem: Austrália
Género: heavy/doom metal
Último lançamento: “Run with the Raven” (2020)
Editora: SAOL
Links: Facebook

Sete anos depois, os australianos Raven Black Night voltam à carga com o seu heavy/doom metal cru e áspero. Para fãs de Black Sabbath, Candlemass e Manilla Road.

«Queremos criar o futuro com alguns princípios do passado.»

O álbum e os objectivos: «“Run with the Raven” é o nosso último disco, que começou em 2013 após o lançamento de “Barbarian Winter” pela Metal Blade. Eu e o guitarrista Rino Amor começámos a improvisar riffs e ideias para músicas. Os nossos objectivos, com o passar do tempo, passavam por fazer um lançamento sonoramente directo e não muito comprimido, com músicas que possas cantar e cantarolar, como as bandas de hard rock e metal mais antigas que adoramos e que exibem versatilidade dentro do estilo. Também queríamos que a nossa presença na Europa aumentasse depois da nossa aparição em Atenas, no Up the Hammers, e na Alemanha, e que as pessoas soubessem que ainda estamos aqui. Podem esperar um álbum cheio de honestidade e hard rock que vem do coração com uma boa dose de heavy metal numa abordagem old-school e com atenção dada à composição das músicas.»

Conceito: «Se lerem as letras, há contos de guerreiros do mundo antigo, batalhas, rainhas, princesas, metáforas da nossa própria vida e até mesmo algum conteúdo ambiental. Com rock, metal e doom, esperem ganchos cativantes com crueza e beleza misturadas. No final, como o grande Lemmy diz, é tudo rock and roll!»

Evolução e influências: «O nosso som desenvolveu-se ao longo dos anos a partir de influências em Black Sabbath. A primeira formação encontrou-se musicalmente e adicionou passagens doomy, interlúdios ambient e um pouco de atmosfera gótica misturada com o bom e velho heavy metal com um toque extremo. Retivemos essa pegada e adicionámos alguns elementos prog e folky, e algumas vezes simplificamos com uma abordagem à AC/DC e Motörhead. As nossas influências musicais são amplas e variadas: heavy metal, punk, blues rock, psicadélico. Acho que, hoje em dia, tocamos o que sentimos e podemos dizer que quando compomos há uma sensação específica de banda, mas não somos escravos de nenhum som. Mas, como sempre, temos o nosso amor pelo hard rock e por algumas bandas punk: Deep Purple, Rainbow, Black Sabbath, Led Zeppelin, Kiss, Iron Maiden, Judas priest, Slayer, Discharge, AC/DC. Somos comparados a Manilla Road, Cirith Ungol e Candlemass, o que é lisonjeiro. Queremos criar o futuro com alguns princípios do passado. Mantenham-se metal e livres!»

Review: Se gostas de sons crus e ásperos, então o heavy/doom metal destes australianos é para ti! A um ritmo alucinante, temas como “Her Sword of Tears” respiram underground com a sua produção suja que, por incrível que pareça, torna-se bastante inebriante. Entre picos e vales, os Raven Black Night criam viagens obscuras com um certo sentido romantizado e sempre condenado. Indicado para fãs de Manilla Road, Candlemass e Black Sabbath.