Com a decisão tomada em Conselho de Ministros, que proíbe festivais de música até 30 de Setembro de 2020 devido à pandemia da Covid-19,... Luís Salgado sobre Vagos Metal Fest: «Temos bons indicadores de que vamos manter quase todo o cartaz»

Com a decisão tomada em Conselho de Ministros, que proíbe festivais de música até 30 de Setembro de 2020 devido à pandemia da Covid-19, a organização do Vagos Metal Fest viu-se obrigada a adiar a quinta edição para 2021.

Para saber mais sobre a situação, a Metal Hammer Portugal contactou a Amazing Events que, através de Luís Salgado, revelou que este desfecho «já era esperado», estando «de acordo que é o melhor para todos».

Para 2020, o evento tinha em cartaz nomes como Emperor, Behemoth e Testament, e como todos os eventos adiados têm feito notar, tudo se fará para que os alinhamentos se mantenham no futuro. «Para já temos bons indicadores de que vamos manter quase todo o cartaz e ainda vamos adicionar nomes que não estavam anunciados – será ainda mais forte em 2021», assegura Luís Salgado.

Sem o pináculo do seu trabalho, que é o Vagos Metal Fest, a Amazing Events promove e organiza paralelamente outros concertos de menor dimensão, especialmente em Lisboa, e esta proibição, que a todos afecta, não lhes faz baixar os braços. «Para já, o que fizemos foi criar a plataforma Gigs Em Casa, que funciona com concertos em directo de várias bandas, de vários estilos – basicamente é uma sala de concertos digital. Obviamente, está longe do que queremos fazer, que são salas cheias, mas sempre ajuda nesta depressão.»

Em conclusão, Luís Salgado deixa ainda uma mensagem composta por positivismo e intervenção: «Gostava que saíssemos desta pandemia com um mundo melhor, com mais compreensão e humanidade. Acho que o vírus nos deu uma lição, porque não olhou a fronteiras, raças, credos, género, e mostrou que não somos ilhas, tal foi a rapidez com que se propagou. Quero acreditar que se o mal se propagou assim tão rápido, também o bem o deve fazer! A mensagem é essa, que no futuro possamos propagar o bem diariamente.»