Há 10 anos a batalharem por um lançamento digno de o ser, os Breksir começaram 2021 com o EP "At the... Breksir: às portas do inferno

Origem: México
Género: melodic death/thrash metal
Último lançamento: “At the Gates” (2021)
Editora: independente
Links: Facebook | Instagram

Há 10 anos a batalharem por um lançamento digno de o ser, os Breksir começaram 2021 com o EP “At the Gates”. Vêm do México mas soam à Suécia, o que lhes tem aberto algumas portas.

«Conhecemo-nos perfeitamente a nível musical e sabemos o que cada um trará sempre que fazemos uma música.»

Último lançamento: «“At the Gates” é o culminar de horas e horas de esforço e trabalho após procurarmos um baterista durante quase dois anos. Depois de trabalharmos com músicos diferentes, finalmente conseguimos o que era necessário para completarmos as cinco músicas que apresentamos no EP. As músicas já existem há quase dez anos e finalmente chegaram a um lançamento real, que está a ser ouvido por todo o mundo, e estamos extremamente gratos por isso. Dá mesmo para perceber que as músicas que já existiam são bastante diferentes das faixas mais recentes, que são “Descent” e “At the Gates of Hel”. Posso dizer que neste registo todos adicionámos algo à mistura – conhecemo-nos perfeitamente a nível musical e sabemos o que cada um trará sempre que fazemos uma música.»

Conceito: «Pode dizer-se que existe um conceito no EP, que é o crescimento pessoal e profissional de cada um de nós enquanto músicos. São cinco músicas liricamente muito diferentes umas das outras. “Hidden”, “Iron Angel” e “Invisible Crimes” foram escritas há cerca de dez anos, incluindo as letras, que falam sobre medos e raiva, contra um determinado sistema. Em “Iron Angel”, as letras são sobre um homem morto que está arrependido das suas acções. “Descent” e “At the Gates of Hel” são músicas muito recentes – foram escritas no ano passado e seguem uma narrativa diferente, mais mitológica se assim quiserem. As duas últimas faixas do EP marcam o início de uma nova era para Breksir.»

Composição e influências: «Por mais que tenhamos gostos muito parecidos na música, somos muito diferentes uns dos outros, e a nossa evolução sonora é fruto disso, portanto não nos consideramos apenas heavy metal ou apenas thrash metal, melodic death metal ou prog – somos o som disso tudo, porque às vezes podemos estar a tocar uns riffs pesados mas de repente começamos a ouvir algumas influências de thrash ou prog, ou o vocalista começa a berrar infernalmente à death metal, enquanto o guitarrista principal retalha algumas escalas menores e o baterista e o baixista aceleram. É tudo muito diferente, e adoramos. Gostamos de poder contar uns com os outros, trazendo-se coisas novas a toda a hora.
As nossas influências são muito variadas em termos de metal. As nossas maiores influências são Metallica, Megadeth, The Black Dahlia Murder, Amon Amarth, Trivium, Tool, Revocation, Lamb of God, Testament, Sylosis, Arch Enemy.»

Review: Numa combinação entre thrash e death metal, sempre em doses melódicas, este colectivo mexicano inspira-se nas sonoridades europeias, lá para os lados da Suécia, para oferecerem a sua música pesada, sem ser totalmente extrema, repleta de melodia e, diga-se, alguma epicidade. Para fãs de Amon Amarth / At the Gates por um lado e Megadeth / Lamb of God por outro, o que se ouve neste EP fica na memória com o intuito de se esperar por trabalhos futuros que sejam ainda mais robustos e arrojados.