O ano foi de muitas dificuldades, especialmente para o sector da música. Mas também foi um ano de grandes descobertas e... Terra Brasilis: o melhor do circuito underground brasileiro em 2020

O ano foi de muitas dificuldades, especialmente para o sector da música. Mas também foi um ano de grandes descobertas e lançamentos. Na última edição do Terra Brasilis, trazemos uma selecção de bandas do circuito underground brasileiro que lançaram verdadeiras obras de arte e merecem ser apresentadas ao mundo todo.

-/-

Vazio – “Eterno Aeon Obscuro”
Umas das grandes revelações do metal extremo, com certeza, foi esta banda paulistana de black metal. O grupo lançou o álbum de estreia em Abril pela Xaninho Discos. Apresentam uma mistura de metal extremo com sonoridades obscuras e rápidas do black metal, além de incorporarem música experimental e ritualista. “Eterno Aeon Obscuro” foi lançado em CD e recentemente teve uma prensagem limitada em LP colorido, que rendeu boas vendas entre os coleccionadores e fãs do metal brasileiro.

-/-

Electric Mob – “Discharge”
Um dos álbum mais esperados e aclamados de 2020. Primeiro fruto da parceria entre a banda Electric Mob e a editora italiana Frontiers Music, rendeu diversas críticas pelo mundo. A jovem banda faz uma música primal, intensa e que capta perfeitamente a essência do bom rock n’ roll, estreando-se com um álbum notável que pode abrir muitas portas e fazendo dos Electric Mob uma banda promissora, com competência para conquistar espaço entre grandes nomes.

-/-

Marenna-Meister – “Out of Reach”
Este álbum de estreia foi lançado pela editora dinamarquesa Lions Pride Music e traz 10 faixas extremamente poderosas com a energia hard rock e hair metal dos anos 80. Com as vibrações mais intensas, juntando a experiência de mais de 25 anos dedicados ao estilo, Marenna-Meister promove uma união empolgante entre os vocais melódicos e marcantes, riffs poderosos e solos de guitarra com toneladas de energia para serem ouvidas no volume máximo. Uma viagem aos tempos de ouro do hard rock.

-/-

Bad Bebop – “Starting Riots”
O power-trio heavy metal surpreendeu com o segundo álbum, lançado pela Abraxas Records. Dinâmico e potente, “Starting Riots” traz 10 faixas que evidenciam o amadurecimento e a força criativa da banda, com músicas densas, potentes e modernas, que retratam um país polarizado e tensionado por política e pandemia. Bad Bebop chama a atenção por fazer um heavy metal moderno e cheio de influências.

-/-

Alchemia – “Inception”
Banda de horror metal que vem ganhando notoriedade desde 2019 com a sua apresentação na feira Horror Expo. Com uma mega produção internacional, o álbum surpreende com profissionalismo e uma mistura de black e death metal, industrial, bandas-sonoras de filmes, orquestração clássica, elementos sinfónicos dramáticos e sintetizadores góticos. As letras falam sobre reflexão, prisão mental, fobias e distúrbios psicológicos que exorcizam profundos terrores da mente. Com certeza, é uma das melhores revelações deste ano sombrio de pandemia e uma grande inovação no mercado do metal brasileiro.

-/-

Labirinto – “Live At Dunk! Fest”
Nessa época de isolamento e restrições de eventos, manter uma banda em actividade é uma tarefa complicada. A partir desse desafio, os Labirinto apostaram num lançamento para conseguirem levar aos fãs a intensidade e o clima que é estar num concerto da banda. “Live At Dunk! Fest” é um álbum ao vivo que materializa toda a intensidade e energia das elogiadas apresentações da banda com músicas de atmosferas densas e ameaçadoras, texturas cuidadosamente colocadas em camadas, riffs de guitarra pesados e brilhantes paisagens sonoras. É uma verdadeira imersão ao som inovador desta banda brasileira de post-rock.

-/-

The Secret Society – “Rites of Fire”
Outra banda revelação do metal brasileiro é The Secret Society. Souberam mesclar perfeitamente elementos do pós-punk com as vibrações niilistas do gótico e o peso do heavy metal, fruto de diversas influências dos integrantes. “Rites of Fire” é o disco de estreia que lançou o grupo para o mundo, trazendo de volta riffs, melodia e a escuridão do death rock. A banda já tem alguns anos de estrada e integrantes experientes, portanto seria inevitável não lançar um dos melhores discos de 2020.

-/-

Institution – “Ruptura do Visível”
Lançado pela editora Hearts Bleed Blue, “Ruptura do Visível” traz um boa mistura de nu-groove-thrash metal com vocais de death metal em português e decidido a discutir o desenvolvimento de uma consciência crítica e o rompimento das práticas sociais opressoras. Com boa repercussão na imprensa, o lançamento deu-se em LPs de várias cores e CD digipack, além das plataformas de streaming. A banda formada em 2013 traz referências de nomes como Soulfly, Cavalera Conspiracy e Sepultura (“Nation” de 2001 até “Machine Messiah” de 2017).

-/-

Mortal Ways – “Mortal Ways”
Este foi o ano para várias bandas lançarem o primeiro trabalho, como esta banda de death metal. O álbum homónimo foi lançado pela Kaotic Records no início de 2020 e aborda temas muito interessantes, como ufologia, distopia e ficção-científica, que, no geral, não é um fenómeno moderno no death metal. Juntando a temática inusitada com a óptima sonoridade cheia de riffs e um vocal poderoso, a banda oferece um disco com alma, fúria, vontade e profissionalismo. Uma estreia que merece atenção. É prova de qualidade e de criatividade.