Que se viva o momento e que se tire o melhor dele – agora o que conta é “Emerald Eyes”. Iron Angel “Emerald Eyes”

Editora: Mighty Music
Data de lançamento: 02.10.2020
Género: speed/thrash metal
Nota: 3.5/5

Que se viva o momento e que se tire o melhor dele – agora o que conta é “Emerald Eyes”.

Veteranos do speed/thrash metal alemão, os Iron Angel, com fundação em 1983, não têm a carreira mais estável que se possa imaginar e algo nos passou ao lado sobre eles precisamente devido a essa inconstância, tendo a banda entrado em longos hiatos por duas vezes. Regressados em 2015, atacaram com “Hellbound” em 2018 e foram alvo de críticas positivas.

Agora, em 2020, oferecem-nos “Emerald Eyes”, um álbum que apenas conta com Dirk Schröder, na voz, como membro original. Daqui partimos para um dos destaques do disco, pois Dirk, com 53 anos, projecta um vozeirão muito energético e vivaz que fará as delícias de fãs de Udo Dirkschneider e Nils Patrik Johansson. Ao lado de colegas que na sua maioria participaram em “Hellbound”, os Iron Angel elaboram um álbum sem paragens e com o pé sempre no acelerador. Mesmo que cedo percebamos que a fórmula é aquela e dali não se passa, são ainda assim capazes de saírem da zona de conforto que é o thrash/speed germânico – com riffs crocantes, rasgados e supersónicos – e põem um pé no Reino Unido com algumas melodias mais heavy metal e até punk. Já os solos são puramente alemães: técnicos, loucos e sem cessação.

Como mais vale tarde do que nunca, parece que os Iron Angel estão bem encarreirados nesta nova vida. Talvez seja tarde para atingirem altos patamares que outros pares alcançaram (como Sodom ou Kreator), mas que se viva o momento e que se tire o melhor dele – agora o que conta é “Emerald Eyes”.