Numa tentativa bem conseguida para se oferecer thrash metal melódico, os Gatecloser revigoram o estilo com hooks e linhas cativantes. Gatecloser: melodia incontrolável

Origem: Itália
Género: thrash metal
Último lançamento: “From the Wasteland” (2020)
Editora: Sliptrick Records
Links: Facebook | Instagram
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Numa tentativa bem conseguida para se oferecer thrash metal melódico, os Gatecloser revigoram o estilo com hooks e linhas cativantes.

«As pessoas podem esperar um novo estilo revigorado do antigo som thrash com muita melodia.»

O que esperar: «Quando começámos a tocar juntos, não sabíamos o que daí surgiria. Cada membro envolveu as suas próprias influências no projecto e o resultado é o que podem ouvir no nosso álbum “From the Wasteland”. O nosso thrash metal está cheio de influências diferentes e as pessoas podem esperar, de facto, um novo estilo revigorado do antigo som thrash com muita melodia.»

Conceito: «Decidimos criar um novo conceito baseado na presença inevitável de The Gatecloser na vida de todos. É a personificação do tempo, um juiz supremo imparcial a guardar o seu próprio portão, à espera do momento certo para o abrir e libertar o seu poder. Podem encontrar vestígios de The Gatecloser em todas as faixas do nosso álbum. Age de várias maneiras e ninguém consegue controlá-lo. Com as nossas letras, esperamos espalhar mensagens significativas.»

Referências: «Já que não tentamos tocar um género específico, o nosso som evoluiu ao misturarmos as nossas influências e gostos pessoais. Apesar disso, quem gosta de bandas como Metallica, Pantera, Godsmack, HIM, Five Finger Death Punch e Alter Bridge vai encontrar algo de interessante em nós.»

Review: Com hooks de fácil absorção e um som aberto, os Gatecloser criam um ambiente digno de lhe chamarmos metal. Essencialmente relacionados à sonoridade thrash metal, os italianos dão-lhe mais melodia do que o normal, tornando-se uma banda bastante catchy, como se pode ouvir em “Bury Him Alive”, tema que possui também uma tendência heavy metal e punk, especialmente no refrão altamente sing-along. Claramente indicado para os amantes do panorama thrash clássico da Bay Area.