Com um lado black metal extremamente melódico, a banda nutre esse departamento com uma guitarra lead omnipresente que tem tanto de gloriosa como de... Irdorath “The Final Sin”

Editora: Art Gates Records
Data de lançamento: 01.05.2020
Género: thrash/black metal
Nota: 3.5/5

Com um lado black metal extremamente melódico, a banda nutre esse departamento com uma guitarra lead omnipresente que tem tanto de gloriosa como de melancólica.

Mesmo a tempo de celebrarem 15 anos de existência, os Irdorath lançam o quinto “The Final Sin” numa discografia que tem um novo álbum a cada três anos.

Praticantes de thrash/black metal, os austríacos separam bem as águas dos géneros que perpetuam ao termos a abordagem thrash metal a aparecer essencialmente nas partes mais destinadas às estrofes e às bridges, e ala black metal a surgir mais em refrãos que são maioritariamente épicos e imperiais.

Com um lado black metal extremamente melódico, a banda nutre esse departamento com uma guitarra lead omnipresente que tem tanto de gloriosa como de melancólica, tornando-se o segundo adjectivo ainda mais preponderante quando se une aos berros de Markus. Ainda assim, essa tal guitarra, que praticamente funciona como maestro, possui uns certos laivos de melodic death metal de tempos a tempos.

Em complemento, a bateria de Thomas tem muitíssimo a dar a este “The Final Sin”, sendo executada meticulosamente com blast-beats estrondosos, como se se tratasse de uma metralhadora afinada e certeira que não falha um alvo.

Ainda que seja um disco sólido, com melodias orelhudas, algumas secções mais dissonantes ou, talvez, mais básicas cortam um pouco da pujança elevatória dos Irdorath. Mesmo que o apontemos como um ponto menos positivo deste “The Final Sin”, crê-se que tais segmentos funcionam como ligações, ajudando assim a que a narrativa seja mais diversificada para que não tenhamos apenas leads melodiosos e blast-beats explosivos a toda a hora e momento.