“The Enemy: Reality” é um disco compensador, porque estamos perante cinco músicos experientes que sentem a música que criam como se estivessem no... Wolfbrigade “The Enemy: Reality”

Editora: Southern Lord
Data de lançamento: 08.11.2019
Género: death metal / hardcore / crust
Nota: 4/5

Debruçando-se em temáticas que dissecam a existência humana e explorando as dinâmicas que dominam os homens e mulheres deste planeta (poder, submissão, manipulação, injustiça), os Wolfbrigade, com a sua mescla de death metal e hardcore, regressam aos discos com “The Enemy: Reality”, um trabalho que representa raiva e frustração em ebulição.

Desta vez, os lobos de Skaraborg decidiram retomar a atitude do-it-yourself e todo o resultado deste álbum raivoso é fruto da matilha restrita, desde a mais que óbvia composição à captação, produção e artwork. Assim, desse processo de isolamento, nasceram 10 novos temas implacáveis que tanto têm poder como melodia, sem nunca se esquecer a substância lírica atrás referida.

Rotulados como lycanthro punk, a sonoridade dos Wolfbrigade é, de facto, distinta e tanto agrada a punks como a metaleiros – uma situação praticamente impossível há uns 30-35 anos. Ainda bem que, nalgumas coisas, os tempos fizeram mudar as posturas para melhor. Posto isto, o que ouvimos neste novo álbum de Wolfbrigade é destrutivo e tão cativante que dá vontade de ouvir várias vezes seguidas – com a ressalva de que a duração também não é muito longa, rondando a meia hora. “The Enemy: Reality” é um disco compensador, porque estamos perante cinco músicos experientes que sentem a música que criam como se estivessem no meio do circle-pit. Para além dessa recompensa em atitude, temos, claro, a gratificação sonora com uma bateria consistente que tanto soa a hardcore como a death metal da velha-guarda, com guitarras que se originam em bases de punk e death metal mais mid-tempo mas que sabem oferecer melodias que se cruzam entre hardcore e heavy metal, e, como não podia deixar de ser, com a voz de Micke Dahl que mistura Lemmy Kilmister e um qualquer ser licantropo que efervesce o berro no fundo da garganta para o expelir com toda a força de um latir grave e impetuoso.