Os Vrani Volosa pegam nas suas raízes e no árduo mas belo modo de vida das populações que habitam à beira-mar para comporem um... Vrani Volosa: o chamado do mar calmo

Origem: Bulgária
Género: epic metal
Último lançamento: “Amongst The Loneliest Of Waves” (2018)
Editora: Red Sunrise Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: João Correia

Os Vrani Volosa pegam nas suas raízes e no árduo mas belo modo de vida das populações que habitam à beira-mar para comporem um disco diferente, épico e melancólico.

“Todo o processo de composição foi uma espécie de jornada através das estações do ano, do clima, das pessoas, do ritmo de vida no mesmo lugar”

O que esperar: «“Amongst The Loneliest Of Waves” é um disco dedicado ao sítio de onde viemos (Burgas, Bulgária, na costa do Mar Negro), às pessoas de lá: os nossos amigos, famílias e o estilo de vida dos trabalhadores do mar. Assim, começámos por aí, musicalmente e liricamente. Passámos muito tempo a compor e ensaiar à beira-mar, na praia, no porto de Burgas. Estávamos a tocar guitarra, totalmente desligados, mas queríamos captar a vibração e o ambiente à beira-mar como cenário e a vida à beira-mar em geral. Assim, todo o processo de composição foi uma espécie de jornada através das estações do ano, do clima, das pessoas, do ritmo de vida no mesmo lugar. Não tínhamos planos de mudanças musicais em comparação com o álbum anterior, “Heresy”; eles surgiram naturalmente enquanto tocávamos e tentávamos capturar a sensação da vida à beira-mar. Ao mesmo tempo, ficámos próximos da visão artística do estilo dos Vrani Volosa – a abordagem épica, o toque sensível e o bouquet colorido de subgéneros de rock e metal.»

Conceito: «Sim, embora não se trate de um álbum conceitual de rock clássico. A história é sobre um miúdo que sonha em tornar-se num marinheiro como o seu pai e que tenta encontrar respostas sobre os motivos da morte dele, imaginando todas as aventuras que ele teve no mar tranquilo, bonito, mas às vezes irado, assustador e sedento de sangue. É uma história positiva sobre as pessoas que seguem os seus sonhos e os tornam realidade.»

Influências: «Começámos como um grupo de black metal mais psicadélico em 2003, mas mudámos radicalmente as vozes agressivas em detrimento do canto limpo e adicionámos muito mais influências de rock progressivo clássico e do metal dos anos 80. Posso mencionar como principal influência a música de bandas como Bathory, Primordial, Enslaved, Borknagar, Rush e Iron Maiden.»


Review: O black metal pagão dos búlgaros Vrani Volosa tem duas características muito agradáveis: simplicidade e inocência, que lhe conferem um som distinto. A voz limpa, de tão melodiosa e perfeita, parece extraída de um qualquer disco de folk metal. Com 11:30 minutos, “Calm Sea” relembra não o black metal pagão como o conhecemos, mas alguns dos melhores momentos de Skyclad (e isto é um elogio, como entenderá quem conhecer Skyclad). Estranha-se, mas rapidamente se entranha, muito devido à voz maioritariamente limpa. Não é carne, não é peixe – apenas boa música.