Complexo, mas extremamente sedutor e catchy, “Palimpsest” é um trabalho criativo de alto relevo que nos faz ondular entre picos e vales emocionais. Protest The Hero “Palimpsest”

Editora: Spinefarm Records
Data de lançamento: 19.06.2020
Género: prog metal
Nota: 4.5/5

Complexo, mas extremamente sedutor e catchy, “Palimpsest” é um trabalho criativo de alto relevo que nos faz ondular entre picos e vales emocionais.

Quando não conseguimos inserir uma banda num rótulo específico, mandamos para ar termos como progressivo ou experimental. Protest The Hero, ainda que seja claramente uma banda de metal progressivo, não foge a essa norma. Mesmo assim, o progressivo e experimental destes canadianos com uma carreira quase a completar duas décadas desdobra-se nas várias influências e bases que os levaram até aqui – falamos, portanto, de géneros como punk, hardcore, emo-core, metalcore, mathcore e death metal. Sim, se calhar é mesmo melhor ficarmos pelo metal progressivo…

Com fileiras estáveis, já que três dos cinco membros pertencem à formação fundadora, os oriundos de Ontário têm em “Palimpsest” o seu novo álbum. Curiosamente, a expressão escolhida para dar nome ao disco significa algo que foi reusado ou alterado mas que, todavia, continua a apresentar certas formas originais – ora, isto vai ao encontro do referido no parágrafo anterior.

Complexo, mas extremamente sedutor e catchy, “Palimpsest” é um trabalho criativo de alto relevo que nos faz ondular entre picos e vales emocionais, tamanhas são as cascatas de riffs matemáticos e cheios de técnica, o que nos leva a apontar a faceta mathcore do grupo. Em complemento, toda esta paleta sonora é preenchida por alguns elementos extra-metal que surgem em momentos específicos e bem colocados, como piano (nos interlúdios que acalmam o frenesim), orquestrações emotivas e instrumentos de sopro que oferecem um teor épico.

Para além de toda esta diversidade e tecnicismo surpreendentes, Rody Walker mostra-se um vocalista versado em mudanças abruptas. Se, por um lado, consegue actuar de forma mais limpa, no campo do prog metal e alt-rock com semelhanças a Myles Kennedy (Alter Bridge), por outro, é capaz de rugir a plenos pulmões para nos encaminhar às origens punk e hardcore.

Enquanto bandas como Leprous se orientam cada vez mais à electrónica, colectivos como Protest The Hero continuam rijos e devotos a concepções orgânicas que, apesar de experimentais, pouco se afastam do metal. Mesmo com uma já longa carreira, caso os Protest The Hero nunca se tenham atravessado no teu caminho, aposta numa audição a este “Palimpsest” – se fores fã de Dream Theater e The Dillinger Escape Plan, então ainda melhor.