De regresso aos lançamentos com um novo single, os Arachnes apresentam uma espécie de oração por um mundo melhor através do... Arachnes: por um mundo melhor

Origem: Itália
Género: prog rock/metal
Último lançamento: “A Step Backward” (single, 2020)
Editora: Underground Symphony
Links: Facebook | Website

De regresso aos lançamentos com um novo single, os Arachnes apresentam uma espécie de oração por um mundo melhor através do seu rock/metal progressivo.

«Karl Marx disse que se a diferença entre quem possui tudo e quem nada possui persistir no tempo, isso levará a espécie humana ao fracasso.»

O novo single: «O nosso último vídeo, “A Step Backward”, é a síntese do nosso género, um progressivo com raízes no hard rock, com contaminações neoclássicas. Esse é o nosso objectivo que, ao longo dos anos, a partir dos álbuns “Apocalypse” e “Primary” Fear, nos tornou populares em todo o mundo e no cenário do rock progressivo. Os nossos fãs estão acostumados ao virtuosismo da guitarra e do teclado, tudo sempre muito elegante e clássico, e a nova faixa é a confirmação da nossa composição.»

Conceito: «“A Step Backward” é uma oração. No vídeo podem ver muito dinheiro e ao mesmo tempo mendigos. Karl Marx disse que se a diferença entre quem possui tudo e quem nada possui persistir no tempo, isso levará a espécie humana ao fracasso. Criamos tecnologia. Porreiro. Mas, ao fazermos isso, destruímos o meio ambiente. Precisamos de um equilíbrio. Dar um passo para trás significa aprender a avaliar as consequências das nossas acções. A ênfase das partes solo da música são a nossa oração sincera. A música tem uma função social importante e os Arachnes acreditam nela piamente. Quero agradecer aos nossos fãs, porque sei que são pessoas sensíveis. Obrigado pessoal, vamos acreditar, porque todos, com as vossas acções, podem melhorar o mundo. Esta é a mensagem de “A Step Backward”.»

Evolução e influências: «Os nossos primeiros discos são bem hard rock, com algumas influências neoclássicas e som americano. Nos anos seguintes, a sonoridade tornou-se cada vez mais progressiva e apurada, com a incorporação de instrumentos clássicos, como piano e órgão litúrgico, sem nunca esquecermos o virtuosismo da guitarra. Certamente, Rainbow, Deep Durple, Malmsteen e Satriani foram referências musicais para desenvolver ao longo do tempo um som mais pessoal, o som de Arachnes!»

Review: Para fãs de metal melódico com componentes power metal e prog metal, os Arachnes regem-se essencialmente por riffs pesados e secos, solos em modo shredding que debitam notas catchy, teclados cintilantes à Dream Theater e vocais amplos e melodiosos. Em temas de quatro minutos, como “A Step Backward”, estes italianos de Milão conseguem ainda assim elaborar diversas estruturas que nos remetem claramente para a vastidão que é o metal progressivo. Variados mas sem complicarem, os Arachnes entram facilmente no ouvido.