“Get Loud!” vence porque é real e faz-nos sentir que pertencemos a uma coisa que não é falsa. Agnostic Front “Get Loud!”

Editora: Nuclear Blast
Data de lançamento: 08.11.2019
Género: hardcore
Nota: 4/5

Pioneiros do crossover e padrinhos do hardcore, os Agnostic Front estão à beira de completar 40 anos de existência, ainda que tenha havido um hiato de cerca de cinco anos na década de 1990. Com tudo isso em mente, a banda mais histórica do hardcore chega ao 12º álbum com um cheirinho a nostalgia que se evidencia primeiramente pela capa – um melhoramento da arte encontrada em “Cause for Alarm” de 1986 –, em segundo na faixa “I Remember” – que deita um olhar à vida dos homens da banda com ligação ao documentário “The Godfathers Of Hardcore” (2017) – e em terceiro no tema “In My Blood” que afirma que o hardcore de Nova Iorque está-lhes no sangue. Por seu lado, as palavras de ordem, não só de Agnostic Front mas de todo um movimento, estão escritas no próprio título, fazendo alusão a um dos muitos motes da banda – «speak up, get loud».

“Get Loud!” é um disco à NYHC e à Agnostic Front, disso não há qualquer dúvida, mas ao fim de tantos anos é óbvio que se sintam melhorias, principalmente ao nível da produção – se fosse ao contrário é que estávamos mal, certo? Feito de hardcore, punk e thrash metal (o dito crossover), “Get Loud!” é uma patada na boca – uma botarra número 44 mesmo em cheio –, um manifesto social barulhento que usa versos e riffs para deitar tudo cá fora, sem deixarmos escapar o ameaçador título “Snitches Get Stitches” – para bom entendedor, meia palavra basta.

O lado mais agressivo e veloz do disco molda-se em faixas thrashy (“Anti Social”, “Conquer and Divide” e “Dead Silence”) e as raízes ganham força em temas orientados a um punk-rock duro, como “Urban Decay”, “Isolated” e a já referida “I Remember”, esta com coros de rua compostos pelos famosos ‘hey oh!’, recuperando até instigações como ‘let’s go!’ e ‘gotta go!’, e recordando quando Miret e Stigma puseram o nome da banda e o New York Hardcore no mapa. Em relação à ala mais tradicional do hardcore norte-americano, pode-se referir a inaugural “Spray Painted Walls”, a furiosa “Attention” e “Pull The Trigger”, esta muito propícia a altos coros em concertos.

Prazeroso de se ouvir, “Get Loud!” vence porque é real e faz-nos sentir que pertencemos a uma coisa que não é falsa, e é esse o segredo dos Agnostic Front – são verdadeiros, fazem os fãs sentirem-se parte deles e nunca se esquecem de onde vêm nem das pessoas que fazem caminho com eles. «Hardcore for life!»