Toda a história de vida de Captain Yarrface. Captain Yarrface (Rumahoy): «Um tubarão desfez-me a cara»

A nova epopeia marítima dos Rumahoy intitula-se “Time II: Party” e abre com “Cowboys of the Sea” que nos faz receber Captain Yarrface com grande pompa e circunstância – lá vem ele a cavalgar um cavalo-marinho com o seu novo chapéu de cowboy. «Do que eu mais gosto é andar por aí a beber com todos os meninos e meninas piratas, tocar estas músicas ao vivo e ver as suas caras reluzirem. É disto que o Captain Yarrface gosta – bem-vindos ao mar!» Está apresentado. Que a pilhagem comece!

Num álbum festivo feito de metal e folk, ficamos a conhecer as origens deste infame senhor dos mares. Alguma vez te questionaste sobre o facto da sua cara estar tapada? A faixa “The Legend of Captain Yarrface” revela o que o pirata nos confirma: «É verdade que um tubarão me desfez a cara e é por isso que uso uma máscara, porque não tenho cara e ninguém quer curtir com alguém que não tem cara. Mas mais importante: realmente mandei um murro nesse grande e estúpido tubarão branco mesmo no meio dos olhos, porque eu sou o Captain Yarrface e sejam bem-vindos ao mar! Acho que, apesar do ataque do tubarão, eu continuaria a ser a mesma pessoa. Gosto demasiado de beber e de pilhar.»

«Gosto demasiado de beber e de pilhar.»

Captain Yarrface

Muitas hordas de piratas guerreiam entre si – sem esquecer as perseguições das Coroas Reais europeias – mas parece que a tripulação Rumahoy é muito amiga de Alestorm, já que Christopher Bowes colabora na desconcertante “Poop Deck Party”. Ou se calhar não. «Bons amigos? Tem de rever a sua pesquisa, Sr. Metal Hammer. O Captain Yarrface e Christopher Bowes são inimigos mortais», atira. E é tão descarado na arte de roubar que até lhes sequestrou uma música: «Viram que tive de os meter a tocar a minha música “Tortuga”?» De facto, este tema é de Alestorm, presente no álbum “Curse of the Crystal Coconut” (2020)… «Eu gosto de rum e cerveja, mas as criancinhas de Alestorm não gostam de cerveja e de diversão», remata.

Quanto ao metal ser a banda-sonora dos piratas, o líder de Rumahoy comenta: «Não sei se o metal é a música, diria mais que diversão e festim são o estilo. Existem muitas bandas piratas (embora nenhuma delas tenha um capitão como eu – bem-vindos ao mar!), mas vão do disco ao acústico e parece que as de metal estão a sair-se melhor porque metal é excelente e beber é excelente. Sou o Captain Yarrface – bem-vindos ao mar! BANG BANG BANG!»

Todavia, os Rumahoy não se alimentam só de pilhagem, tiros, bebedeira e lutas com tubarões. O mundo, onde se respira caos político e sanitário, precisa de uma pausa e criar bons momentos é também um dos objectivos destes marinheiros fora-da-lei. «Honestamente, se não trouxeres alegria, então és uma sanguessuga de almas, e se tens o poder de tornar o dia de alguém melhor, não o farias? Pilharia e beberia com toda a gente porque é divertido. Se não quiserem divertir-se, então saiam da frente do Captain Yarrface – só tenho tempo para diversão! A nossa música é apenas uma extensão do nosso quotidiano, e se ouvirem-me – o maior pirata na Terra – cantar sobre a minha vida traz alegria, então eu digo AHOY! É fantástico – bem-vindos ao mar!»