Tão belo quanto devastador e ameaçador, “Es grauet” é um trabalho que ao longo de quase 40 minutos respira audácia e... Ungfell “Es grauet”

Editora: Eisenwald
Data de lançamento: 30.04.2021
Género: folk/black metal
Nota: 4/5

Tão belo quanto devastador e ameaçador, “Es grauet” é um trabalho que ao longo de quase 40 minutos respira audácia e mostra-se arrojado.

Depois dos mitos e pestes do segundo álbum “Mythen, Mären, Pestilenz” (2018), os Ungfell regressam aos LPs com os crimes e a horribilidade de “Es grauet”.

Tendo-se vindo a estabelecer no sempre profícuo movimento black metal da Suíça, a dupla de Zurique transporta-nos aos tempos antigos e ao folclore do seu país, mais concretamente ao mundo rural, para se dissecar a ambivalência moral e traiçoeira de uma idílica localidade assaltada por um terrível assassínio que leva os seus habitantes a entrarem num êxtase acusativo ao mesmo tempo que não compreendem os acontecimentos.

Com a maldade sempre à espreita, este conto é acompanhado e concretizado por um imersivo black metal atmosférico e folclórico que sublinha, com todas as suas camadas sonoras, a complexidade da narrativa unida à intrincada musicalidade. “Es grauet” destaca-se pelo seu dinamismo que cruza a ferocidade enegrecida do black metal mais cru com inclinações melódicas e algo épicas particularmente exaltadas por leads de guitarra, sem esquecermos as raízes daquela terra, seja com arranjos folclóricos oferecidos por bonitas guitarras acústicas ou pelas colagens sonoras que nos guiam pela ruralidade com pessoas a conversar, galinhas a cacarejar, gado a mugir ou mesmo carroças enguiçadas a percorrer caminhos de pedra e lama.

Tão belo quanto devastador e ameaçador, “Es grauet” é um trabalho que ao longo de quase 40 minutos respira audácia e mostra-se arrojado. Mesmo que este tipo de cruzamento entre black metal e folclore não seja uma novidade nos tempos que correm, o duo conseguiu apostar em si próprio ao ponto de marcar uma posição que nos fará dizer: isto é Ungfell.