Metal directo e agressivo é o que os Avoid Humanity nos oferecem, com o bónus de um conceito lírico alimentado a ódio por tudo... Avoid Humanity: contra tudo o que está mal
Foto: Mapping Emotions

Origem: Roménia
Género: hardcore / death metal
Último lançamento: “Apex of Impurity” (2020)
Editora: Overdue Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Metal directo e agressivo é o que os Avoid Humanity nos oferecem, com o bónus de um conceito lírico alimentado a ódio por tudo o que está mal.

«Mostrar a natureza desarticulada e feia da humanidade em 10 músicas furiosas que levarão o ouvinte à beira da insanidade.»

Objectivos: «O objectivo era mostrar a natureza desarticulada e feia da humanidade em 10 músicas furiosas que levarão o ouvinte à beira da insanidade. Quanto ao que as pessoas podem esperar, é música bastante simples e raivosa oriunda de um país medíocre que nunca ouviram falar.»

Conceito: «O álbum é influenciado pelo ódio, pobreza, despeito, corrupção e indiferença da sociedade. É sobre cinco introvertidos que querem gritar/cantar sobre tudo o que está errado. Mas não estamos a tentar mudar, estamos apenas a tentar esfregar isso nas vossas caras.»

Evolução e referências: «Evoluímos de diferentes contextos musicais, como thrash, progressivo e deathcore, mas decidimos manter-nos simples, com músicas mais directas e agressivas. As referências musicais serão bandas como Knocked Loose, Spite, Nails ou Harm’s Way.»

Review: O comportamento dos humanos não está ao seu melhor nível e os romenos Avoid Humanity fazem questão de confrontar o que de errado está no nosso planeta. Como introvertidos que se dizem ser, evitam a humanidade mas não a querem abandonar ou mudar – por isso, produzem metal com muito groove e alguma técnica para se misturarem e esfregarem-nos na cara tudo aquilo que pensam estar mal. Em suma, death metal moderno sem tretas e sem ornamentos de plástico.