Os Wormwood passaram de aprendizes a mestres num curto período de tempo. Wormwood “Nattarvet”

Editora: Black Lodge Records
Data de lançamento: 26.07.2019
Género: black/folk metal
Nota: 4/5

Depois do impacto conseguido em 2017 com o estreante “Ghostlands: Wounds from a Bleeding Earth”, os Wormwood regressam aos trabalhos de estúdio com “Nattarvet”, uma proposta em que o colectivo sueco volta a surpreender com o seu black metal melódico sem preconceitos, que abraça influências de shoegaze e folk, e em que até podemos reconhecer o rock psicadélico de uns Pink Floyd.

Temas como “I bottenlös ävja” ou “The Isolationist” são bem elucidativos quanto ao que podemos esperar musicalmente deste disco, com o primeiro exemplo a oferecer-nos uma brilhante execução, evoluindo de atmosferas folk protagonizadas por acordeões, violinos e o cantar dos pássaros, até ao peso e à agressividade de um blackened folk metal que por momentos nos faz recordar os seus vizinhos Finntroll, mas que rapidamente transita para vocais limpos e sublimes que conduzem uma marcha fúnebre. A exigente versatilidade da banda prossegue a sua missão de colocar o ouvinte à prova com as melodias incisivas e enérgicas de “Av lie o börda” ou com o poder transmitido na hipnótica “Arctic Light”, percorrendo o caminho experimental que pode ser encontrado ao longo de todo o disco e apresenta um trabalho de guitarra e bateria mais técnico, com atmosferas que ora puxam-nos para a sua órbita com tons mais negros, ora socorrem-nos numa mensagem que tem tanto de melancolia como de esperança.

“Nattarvet” é o consolidar de uma experiência musical que já se tinha mostrado vencedora dois anos antes e o passaporte de que a banda precisava para obter o reconhecimento internacional que lhes é devido. Com este disco, os Wormwood terão a capacidade de entrar definitivamente na primeira liga do metal, não só por terem levado o black metal melódico a um novo nível, mas também por terem passado de aprendizes a mestres num curto período de tempo.