Após terem passado por Lisboa, os dinamarqueses Volbeat regressaram novamente à capital onde asseguraram em 2010 a primeira parte dos dois espectáculos que os... Volbeat + Baroness + Danko Jones (10.10.2019 – Lisboa)
Volbeat (Foto: Solange Bonifácio)

Após terem passado por Lisboa, os dinamarqueses Volbeat regressaram novamente à capital onde asseguraram em 2010 a primeira parte dos dois espectáculos que os Metallica deram nesse ano. Desta vez voltaram em nome próprio, ao Coliseu dos Recreios, com o apoio dos norte-americanos Baroness e dos canadianos Danko Jones como bandas de suporte numa tour europeia composta por cidades como Londres, Madrid, Berlim, Hamburgo e Estocolmo.

Tanto Danko Jones como Baroness são bandas bastante acarinhadas pelo público português, o que ajudou a proporcionar um excelente ambiente de início de noite. Embora possa ter sabido a pouco para muitos, Danko Jones deram um concerto repleto de energia, em que souberam envolver da melhor forma um público expectante em relação ao headliner do dia.

Danko Jones (Foto: Solange Bonifácio)

Oriundos de Savannah (Geórgia, EUA), os Baroness existem nas sombras, sob o radar, fazendo as coisas à sua maneira, e acabando por manterem sempre a sua identidade musical mesmo após a evolução de todo o caminho que têm vindo a percorrer. Qualquer que seja a adversidade que tenha surgido no seu percurso, transformam isso tudo em mais um excelente trabalho musical, essa que é também uma das razões de serem tão conceituados. Apresentaram um set com bastantes músicas do novo disco, que tem uma componente sonora com um punho maior dentro do progressivo, e revisitaram ainda temas que deixam os seus fãs sempre expectantes, como “March to the Sea”, “If I Have to Wake Up (Would You Stop the Rain?)”, “Shock Me” e “Take My Bones Away”, ficando a vontade de voltar a vê-los como headliner numa próxima visita.

Baroness (Foto: Solange Bonifácio)

Os Volbeat emergiram em Copenhaga em 2001 e, desde então, foram evoluindo na sua carreira até ao escalão superior do hard-rock, seja com tours ou como banda de suporte de nomes enormes como os Metallica, Slipknot ou Motörhead, conquistando também a indicação para o Grammy de Melhor Performance Metal de 2014 com “Room 24” e ganharam vários Danish Music Awards. O último trabalho, “Seal The Deal & Let’s Boogie”, que estreou em primeiro lugar em sete países, é um DVD acompanhado de álbum e documenta o maior marco alcançado até à data em Copenhaga, tocando diante de 48250 fãs, acabando por ser o concerto com maior número de pessoas que uma banda dinamarquesa já fez nesse país.

Neste momento, e já com uma carreira bastante reconhecida e estabelecida, todos estes factos são importantes de serem relembrados de modo a entender-se um pouco o que se passou no Coliseu dos Recreios. Ainda antes dos Volbeat subirem ao palco, o público já se encontrava bastante entusiasta, onde se podiam ver cartazes de apoio e bandeiras de diversos países. A banda agarrou o público com a sua boa disposição e interacção desde que subiram ao palco, revisitando temas como “Lola Montez”, “For Evigt” e “Black Rose” (com participação de Danko Jones), com direito a um encore composto por “The Devil’s Bleeding Crown”, “Leviathan”, “Pool of Booze, Booze, Booza” e “Still Counting”.

O Coliseu dos Recreios estremeceu com os ecos de refrãos sing-along que acenam para a história da banda com uma vontade de se olhar em frente para um futuro ainda mais promissor, encapsulando tudo o que deles se trata. Este é finalmente o momento brilharem.