O ex-vocalista dos HIM, Ville Valo, vasculha a sua colecção de discos para escolher as melhores e menos conhecidas músicas góticas de todos os... As 10 melhores músicas obscuras do goth dos 90s escolhidas por Ville Valo

O ex-vocalista dos HIM, Ville Valo, vasculha a sua colecção de discos para escolher as melhores e menos conhecidas músicas góticas de todos os tempos.

Quando não está envolvido na sua própria marca, que é o love metal, o ex-vocalista dos HIM, Ville Valo, é um superfã confirmado de tudo o que é gótico. Claro, isto não deverá ser uma surpresa quando ouves “Right Here In My Arms” ou “Join Me In Death”… mas o seu conhecimento e colecção são muito mais profundos do que Fields Of The Nephilim e The Mission. Aqui, Ville Valo explora os cantos mais escuros e poeirentos do seu sótão para encontrar alguns tesouros negros e partilhar a miséria.

-/-

The Merry Thoughts – Chant
«Não, o nome não inspira exactamente pensamentos góticos, mas eu gosto muito disto. Era uma banda alemã, no estilo de Sisters Of Mercy – usavam uma bateria electrónica, cantavam sobre anfetaminas e soavam sombrios duma maneira que somente os alemães conseguem. E também dá para dançar com eles.»

-/-

Killing Miranda – Touched By Jesus
«Uma banda britânica. Começaram na veia gótica, mas depois mudaram para uma direcção industrial. “Touched By Jesus” é tão evocativo e desviante quanto o título sugere – não é uma canção religiosa. É muito sexual e perturbadora. Faz com que queiras ficar à frente dum espelho e pintar os lábios de preto.»

-/-

Rosetta Stone – Shadow
«Rosetta Stone, da Grã-Bretanha, foi um daqueles grupos que roubou a vibe pós-Zeppelin de The Mission, acrescentando a batida dançante de The Sisters Of Mercy. Pode parecer uma contradição, mas as músicas eram bastante infelizes, ainda que melódicas e poppy. Esta música é linda.»

-/-

Inkubus Sukkubus – Intercourse With A Vampyre
«Que título brilhante. Inkubus Sukkubus é uma banda pagã, gótica e pop-rock da Inglaterra com uma voz feminina, a Candia Ridley. “Intercourse With A Vampyre” vem de uma compilação chamada “What Sweet Music They Make Volume 1”. É realmente melódica, mas, ao mesmo tempo, é quase horrorosa no seu contexto erótico.»

-/-

Vendemmian – Don’t Fall
«“Don’t Fall” é uma cover duma música dos The Chameleons. Comprei a minha cópia numa loja em Camden, chamada Resurrection Records, depois de ter perguntado por novas bandas – naquela altura, era tudo feito de boca em boca. Vale a pena investigar o álbum “One Eye Open”.»

-/-

Suspiria – Allegedly, Dancefloor Tragedy
«Esta música revitalizou o meu amor pelo gótico. Eu estava a pôr música numa noite e alguém disse o nome deles. Eram dois tipos de Nottingham, e demorei quatro meses para conseguir uma cópia. Eram como uma versão mais electrónica do que tinha sido feito antes: perfeitamente adequado para os longos e negros invernos de Helsínquia.»

-/-

Clan Of Xymox – Jasmine And Rose
«Os Clan Of Xymox existem desde o início dos anos 1980. Fui-lhes apresentado por um amigo de Berlim, que era um DJ gótico. Ouvia-se “Jasmine And Rose” nos velhos e estranhos bares em bunkers às 6 da manhã, totalmente bêbados e cercados por pessoas de borracha e cabedal.»

-/-

Star Industry – Nineties
«Ainda me rio sempre que ouço esta música. Star Industry é uma banda belga e lançaram esta música em 1999. Cantavam “Open your eyes and see / These are the 90s” quando estava para vir um novo milénio em cerca de dois meses. Mas também é uma óptima música. É um pouco como a era “Vision Thing” de Sisters Of Mercy, com guitarra bem amplificada.»

-/-

Midnight Configuration – Sinister Sinister
Midnight Configuration era um projecto a solo de Trevor Bamford, que dirigiu a extremamente influente editora gótica Nightbreed Records. Actualmente, “Sinister Sinister” será mais fácil de encontrar no best-of de Midnight Configuration chamado “Dark Desires” – o título provavelmente diz tudo!»

-/-

One – Mercy Mile
«One era uma banda interessante e realmente obscura – na verdade, era apenas um tipo australiano, o David Wilkinson. Fez um álbum, “Walk The Mercy Mile”, que saiu e depois simplesmente desapareceu. Musicalmente, era goth metal. É electrónico e extremamente poppy. Como a maioria das pessoas desse género, o tipo tem uma voz muito, muito profunda – quase como um Cookie Monster –, mas é um excelente álbum.»

Consulta o artigo original em inglês.