Com o novo EP "Cosmic Tide", os Soniq Armada unem death metal e electrónica, formando uma sonoridade industrial e espacial. Soniq Armada: death metal cósmico

Origem: EUA
Género: industrial metal
Último lançamento: “Cosmic Tide” (EP, 2020)
Editora: Sounds Of Chaos Recordings / SCR Media
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Com o novo EP “Cosmic Tide”, os Soniq Armada unem death metal e electrónica, formando uma sonoridade industrial e espacial.

«O objectivo geral do EP será mostrar em que direcção criativa os Soniq Armada estão a ir.»

Cosmic Tide” EP: «Tem duas novas faixas: “Cosmic Tide”” e “Left For Dead”. A versão em CD do EP também apresentará as duas primeiras faixas demo lançadas há 10 anos: “Freyja” e “Nightmare”. O objectivo geral do EP será mostrar em que direcção criativa os Soniq Armada estão a ir com as duas novas faixas e onde a banda estava quando começou.»

Conceito: «Inicialmente, havia o desejo de se lançar duas faixas separadas sem um tema real em si. Mas fazia sentido colocá-las juntas num lançamento, porque cada uma delas mostra aspectos únicos da música de Soniq Armada. A faixa-título é uma peça de oito minutos e meio com letras que contam uma história sobre viagens espaciais, amor e a dor da saudade. “Left For Dead”, de cinco minutos e meio, possui um som industrial mais característico que, liricamente, explora ser-se abandonado pela pessoa que mais se amava e sem motivos reais. Ambas as músicas têm muita brutalidade e emoção.»

Sonoridade e influências: «Somos uma banda de metal extremo que também utiliza elementos industriais. É a nossa intenção desde o início. As bandas que têm sido as maiores influências, provavelmente, são: Hypocrisy, Emperor, Type O Negative, Dimmu Borgir, Fear Factory, KMFDM, The Sisters Of Mercy, Pink Floyd, ELO… Só para citar algumas.»

Review: Facilmente apelidado como metal interestelar, a sonoridade destes norte-americanos é protagonizada por momentos épicos e espaciais através dos teclados mas também por uma agressividade técnica durante os segmentos preenchidos por guitarras death metal. Tudo junto, temos uma experiência rica em sensações díspares que funcionam muito bem numa só música. Interessante, bem executado e razoavelmente bem produzido – os Soniq Armada têm, decerto, capacidade para vir a fazer algo mais monstruoso e atmosférico.