Uma intensa demonstração de inteligência emocional e instrumental que são, na verdade, a espinha dorsal para um disco lindamente estruturado. Skyblood “Skyblood”

Editora: Napalm Records
Data de lançamento: 22.08.2019
Género: melodic heavy metal
Nota: 4/5

Skyblood, de Mats Levén, é o novo projecto a solo deste génio sueco do metal e do rock. O vocalista é reputadíssimo pelo seu trabalho em Therion e Candlemass, e pela colaboração com o lendário guitarrista Yngwie Malmsteen. Ao longo da sua carreira, Levén sempre se dedicou a ter diversas colaborações no seu currículo, mas, neste ano de 2019, o icónico vocalista decide partir para um projecto a solo, lançando assim o álbum de estreia homónimo.

“Skyblood” apresenta a verdadeira faceta do vocalista que, durante muitos anos, tem interpretado um metal sinfónico quase a pender para o death metal com Therion e um doom metal que definiu o género até aos dias de hoje. Ora, com este projecto, Levén define o tom para um metal muito mais melódico e apaixonante em termos líricos. É, de facto, um ideal a solo, pois, apesar do excelente trabalho executado pelos colegas de banda, a alma de Levén define esta estreia.

Segundo o vocalista, este álbum define muito a personalidade que a banda pretende seguir,

com «orgulho, empatia e raiva», sendo uma bela descrição de um álbum completo e diverso, cheio de melodia e de letras que ficam no ouvido. Para além disso, “Skyblood” atrai logo na primeira audição e é de gosto rápido, apresentando um conjunto de elementos que vão interessar aos seguidores do vocalista e da sua carreira. A intensa ferocidade de “One Eye For An Eye” acoplada com a obscura “Once Invisible” e a instrumentalmente riquíssima “Le Venimeux” tornam este disco a verdadeira surpresa de 2019. As já apresentadas “The Voice” e “The Not Forgotten” mostram muito do que este álbum realmente é: uma intensa demonstração de inteligência emocional e instrumental que são, na verdade, a espinha dorsal para um disco lindamente estruturado.

Apesar de não ser um longa-duração conceptual, a verdade é que apresenta um tema recorrente, mais negativo do que positivo, em termos emocionais. Para além de melódico, é altamente épico, tudo isto graças ao poder da voz de Levén que eleva o estatuto de um disco que move e que não deixará ninguém indiferente, com inspirações contemporâneas épicas e clássicas que interessarão a uma larga base de apoio. “Skyblood” pode muito bem ser uma surpresa para muitos, apesar da longevidade do seu líder e fundador. É um disco imparável e cheio de energia e com belos momentos que impactam positivamente esta estreia de Mats Levén a solo.