Inseridos na New Wave of American Heavy Metal, os Salem's Childe pretendem usar a música pesada para se originar a força de uma ideia,... Salem’s Childe: o ódio não nos fará maiores

Origem: EUA
Género: heavy metal
Último lançamento: “The Sin that Saves You” (2020)
Editora: Pavement Entertainment
Links: Facebook | Instagram

Inseridos na New Wave of American Heavy Metal, os Salem’s Childe pretendem usar a música pesada para se originar a força de uma ideia, mesmo que isso te leve ao fundo – para depois voltares a emergir.

«O álbum conta uma história de auto-descoberta, de se estar disposto a lutar por uma ideia e cair-se na escuridão auto-criada para, eventualmente, sair-se dela como uma pessoa nova.»

Objectivos: «Queríamos fazer um álbum que expressasse não apenas de onde vimos musicalmente mas também para onde queremos ir enquanto músicos. Decidimos arriscar, sem nos limitarmos a uma forma de pensar ao compor, permitindo que a música aconteça naturalmente e sem se forçar nada. Acabámos com um álbum que explora muitas ideias e estilos musicais, mantendo a coerência e o seu próprio som. Esperamos que as pessoas encontrem algo de que gostem, sem importar qual é o seu estilo de metal favorito – há um pouco de tudo aqui.»

Conceito: «Gostamos de dizer que este é um “álbum sem conceito com conceito”. Musical e liricamente, há um tema que permeia o disco do início ao fim, mas também queríamos que cada música pudesse ter uma presença própria. Como um todo, porém, o álbum conta uma história de auto-descoberta, de se estar disposto a lutar por uma ideia e cair-se na escuridão auto-criada para, eventualmente, sair-se dela como uma pessoa nova. O que queremos, porém, é que as pessoas encontrem o seu próprio significado e mensagem no álbum e nas suas músicas da maneira que melhor se adapte às suas vidas individuais. No final das contas, sem importar se te aplicas a isso, a mensagem geral do álbum é que a vida pode ser difícil, o mundo está uma confusão, mas há sempre algo em que se encontra esperança – especialmente em ti.»

Influências: «Vimos de um passado com influências bastante diversas, com uma variedade realmente diversificada de estilos e géneros. Como banda, porém, diria que nos relacionamos mais fortemente ao som da New Wave of American Heavy Metal do início de 2000 e bandas como Machine Head, Trivium, Lamb of God e Killswitch Engage. Também temos raízes profundas no som da velha-guarda de bandas como Death Angel, Testament, Exodus e Kreator.»

Review: Com temas como “The Dream Is Dead”, os Salem’s Childe criticam fortemente o estado do sistema norte-americano através de um metal que mescla noções de heavy metal tradicional, especialmente através das guitarras corridas e de alguns leads melódicos, e inclinações ao groove mais agressivo de uns Pantera, notoriamente se tivermos em conta a voz berrada e rouca que também é capaz de surgir limpa nos refrãos. Energia desmesurada é o que mais podemos esperar deste grupo do Indiana.