Para os fãs de Black Sabbath, “Heaven and Hell” transporta-nos logo para um dos mais importantes álbuns da história do heavy metal, com o... Perdidos no Arquivo: Heaven & Hell

Para os fãs de Black Sabbath, “Heaven and Hell” transporta-nos logo para um dos mais importantes álbuns da história do heavy metal, com o falecido Ronnie James Dio a encabeçar a banda liderada por Tony Iommi, Geezer Butler e Bill Ward. Coincide como sendo o disco de estreia do lendário frontman na banda que era muitas vezes sinónimo de Ozzy Osbourne, sendo este um dos mais carismáticos e importantes vocalistas da história do género. Ora, tendo em conta que a era Dio teve tanto sucesso e foi tão adorada pelos fãs – com a saída do vocalista em 1982 e o seu regresso em 1992 para “Dehuminazer” –, Iommi & Cia. juntaram-se quase para reformar o velho grupo da era Dio, chamando Geezer Butler ao baixo e Vinny Appice à bateria. Heaven & Hell tinha assim a intenção clara de criar música de peso e com vigor como há já algum tempo não se ouvira.

Depois de uma reunião para a gravação de três faixas para a compilação “Black Sabbath: The Dio Years”, lançada em 2007, o quarteto decidiu partir numa tour e baptizar o seu projecto para evitar confusões com a era de Ozzy. Heaven & Hell passou a ser o nome de um dos mais importantes supergrupos, apesar de ter tido uma longevidade muito curta, e o conjunto de lendas acabou por tecer uma teia muito importante na primeira década dos anos 2000. Uma digressão não chegaria para o talento destes dinossauros cheios de talento e com muito ainda para dar – então, em 2009, sai o portentoso “The Devil You Know”, com conteúdo totalmente original que tinha ido para o estúdio em 2008. O espírito de memória e das recordações foi imenso, tendo em conta o número de anos que separou a última gravação oficial em estúdio destes quatro artistas. Então, logo à partida, o álbum carregava todo um sentimento de emoção positiva que levou à execução de dez faixas originais com uma cadência muito forte e carregada, com arranjos instrumentais tipicamente apoiados na guitarra de um dos melhores guitarristas de todos os tempos – Tony Iommi.

Apesar de não ser um disco perfeito, conhecendo-se a música de hoje em dia, qualquer um pode dizer que “The Devil You Know” até acabou por se tornar num dos lançamentos mais subvalorizados do heavy metal, não pela falta de aclamação internacional por parte da crítica mas pela falta de apoio por parte de muitos fãs que viram este álbum como mais uma tentativa de quatro lendários músicos voltarem ao activo. Pelo menos, no início, é inegável que muitos tenham pensado assim – talvez, com o passar dos anos, tais opiniões se dissiparam, fazendo crescer o nível de respeito nutrido por este longa-duração.

É difícil desmontar este álbum, sendo ele tão uniforme em termos qualitativos, mas há um conjunto de faixas cuja admiração lhes tem de ser atribuída, pois “Fear”, “Bible Black”, “Follow The Tears”, “Atom & Evil” ou “The Turn Of The Screw” não devem nada ao legado construído durante a era Dio nos Black Sabbath. Claro, o longa-duração demonstra uma viragem na personalidade musical dos artistas que demonstram uma maior maturidade e experiência, sobretudo nas letras das suas faixas. “The Devil You Know” já detinha uma aura de saudade tremenda, mas a aura aumentou aquando da morte de um dos mestres da voz – Ronnie James Dio morreu vítima de cancro no estômago em 2010. Por esta razão, há poucas gravações oficiais do grupo a tocar este disco, sobrevivendo um excelente concerto no Rockpalast, em 2009, que está disponível no YouTube.

Em 2010, “The Devil You Know” ganhou o prémio de Melhor Álbum nos Metal Hammer Golden Gods Awards. E não, não recebeu o prémio por causa da morte de Dio, mas porque o mereceu muito devido ao esforço vocal de Ronnie James Dio, que fez aqui uma das grandes performances da sua carreira, cantando cada faixa com uma tremenda paixão e dedicação.