O presidente dos Estados Unidos da América utilizou o clássico de 1980 de Ozzy Osbourne, "Crazy Train", como parte de um vídeo onde ridicularizou... Ozzy Osbourne vs Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos da América utilizou o clássico de 1980 de Ozzy Osbourne, “Crazy Train”, como parte de um vídeo onde ridicularizou os seus rivais Democráticos. A música acompanha imagens recentes retiradas dos debates do Partido Democrata que irão escolher um candidato para a corrida à Casa Branca, que ficaram marcados pelas dificuldades técnicas apresentadas.

Sharon Osbourne emitiu um comunicado referindo que Sharon e Ozzy Osbourne não autorizaram o uso da música: «Uma vez que procederam ao uso indevido do tema “Crazy Train”, de Ozzy Osbourne, vamos enviar uma notificação para a campanha de Trump (e outras campanhas) para informar de que estão proibidos de utilizar músicas de Ozzy Osbourne em anúncios políticos ou campanhas políticas.»

«A música do Ozzy não pode ser usada sem aprovação. Enquanto isso, tenho uma sugestão para o Sr. Trump – talvez ele deva pedir aos seus amigos músicos. Talvez o Kanye West (Gold Digger), Kid Rock (Iam The Bullgod) ou Ted Nugent (Stranglehold) permitam o uso dos seus temas.»

Esta não é a primeira vez que Trump entrou em conflito com outras bandas e artistas devido à utilização não autorizada das suas músicas. Guns N’ Roses, Aerosmith e Rolling Stones encontram-se entre os nomes que exigiram que os seus temas fossem removidos da campanha Presidencial de 2016 de Donald Trump.

Ver também: