Para fãs de heavy metal tradicional, os Omnia Transit aliam a sua melodia a conceitos sociais. Omnia Transit: exame à consciência

Origem: Espanha
Género: heavy metal
Último lançamento: “Examen de Conciencia” (2019)
Editora: independente
Links: Facebook | Website
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Para fãs de heavy metal tradicional, os Omnia Transit aliam a sua melodia a conceitos sociais.

«Todos podemos contribuir para tornar este mundo melhor.»

Objectivos: «O objectivo não era outro senão o de divulgar os temas que tínhamos composto, a nossa reflexão sobre alguns problemas e injustiças, e que acreditamos serem importantes para a sociedade. As pessoas vão encontrar 11 faixas muito diversas musicalmente, com garra, coração e pensamento à Omnia Transit.»

Conceito: «A mensagem que queremos transmitir é que temos de parar um pouco para pensar, todos podemos mudar alguma coisa. Existem muitas injustiças, desigualdades e todos podemos contribuir para tornar este mundo melhor. Especialmente para os mais pequenos, que é realmente no que este álbum é baseado.»

Referências: «Passaram mais de 10 anos desde que iniciámos a nossa jornada e que lançámos a primeira maqueta, “Pasa el Tiempo”. Desde então, passámos por uma grande transformação colectiva e individual. Nesta última etapa, com Victor na voz, abordámos estilos mais progressivos e melódicos, resultando neste “Examen de Conciencia”, um álbum mais maduro e elaborado ao nível composicional e interpretativo. Falando de referências musicais, somos um grupo muito diferente. Temos gostos musicais bastante diferentes, que são reflectidos nas versões que costumamos tocar nos nossos concertos, ao apresentarmos músicas de bandas como Barricada, Mago de Oz, Iron Maiden, Triana, Guns N’ Roses, Ángeles del Infierno, Metallica, Raphael, La Fuga, Medina Azahara.»

Review: Com músicas cantadas em castelhano, os Omnia Transit apresentam um heavy metal com laivos de thrash metal se tivermos em conta os riffs esgalhados e rápidos de temas como “Jugando a Ser Mayor”, este que vence especialmente pela toada melódica de guitarras cativantes (seja em lead ou em solo) e refrãos que podem despertar o animal cantante que há em nós. Indicado para fãs de, por exemplo, Iron Maiden que não se importam de ouvir um heavy metal um pouquinho mais feroz.