O resultado desta colaboração é realmente semelhante a algo saído de alguma região esquecida do cosmos. Omega Infinity “Solar Spectre”

Editora: Season Of Mist
Data de lançamento: 27.03.2020
Género: atmospheric black metal
Nota: 4/5

O resultado desta colaboração é realmente semelhante a algo saído de alguma região esquecida do cosmos.

“Solar Spectre” é o debutante de uma colaboração entre Tentakel P., mentor do projecto de post-metal Todtgelichter, e Xenoyr, vocalista dos australianos Ne Obliviscaris. Se já por si é difícil imaginar uma fusão entre estas duas bandas, o resultado da colaboração entre estes dois artistas é realmente semelhante a algo saído de alguma região esquecida do cosmos.

Concebido por Tentakel para dar forma a ideias mais agressivas e obscuras que não seriam compatíveis com a sonoridade de Todtgelichter, Omega Infinity transporta-nos para um vazio sideral cheio de blast-beats industriais, vocalizações ecoadas e uma atmosfera gélida e envolvente que nos é apresentada logo de início com a muito bem organizada explosão de fúria de “Mars”, ou através das elaboradas “Venus” e “Jupiter”, que não são tão agrestes mas que mostram o que a banda consegue fazer ao unir todos os diversos elementos que apresenta em “Solar Spectre”, desde as paisagens oníricas de “Neptune” até à cacofonia raivosa de “Terra”.

“Solar Spectre” é uma audição interessante que tem em si o leque de ideias diferentes que costumam perfazer os primeiros álbuns de muitas bandas. Não é de todo um álbum que se recomende a quem goste dos projectos principais dos seus dois membros, mas é um disco para os que gostam de música extrema fora da norma.