Na mesma onda sonora de bandas como Delain, os Nevaria estão a apostar tudo no primeiro álbum "Finally Free". Com o talento que têm... Nevaria: livres para sonhar com vôos mais altos

Origem: Alemanha
Género: symphonic metal
Último lançamento: “Finally Free” (2019)
Editora: Dr. Music Records
Links: Facebook | YouTube
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Na mesma onda sonora de bandas como Delain, os Nevaria estão a apostar tudo no primeiro álbum “Finally Free”. Com o talento que têm e com uma pontada de sorte que todas as bandas precisam, estes alemães podem almejar vôos mais altos.

«O nosso objectivo era ter muita melodia e grande reconhecimento pelas linhas vocais e melódicas.»

Objectivos: «O nosso objectivo era ter muita melodia e grande reconhecimento pelas linhas vocais e melódicas. Músicas que são divertidas, fáceis de ouvir e que convidam a cantar / cantarolar. Quem se diverte com letras está em boas mãos connosco para se encontrar com os seus assuntos pessoais.»

Conceito: «As músicas devem ser consideradas independentes. Portanto, não é um álbum conceptual ou algo assim. No que diz respeito às letras, no entanto, pensámos muito sobre isso. União social a olho nu é importante para nós. Somos da opinião de que apenas aqueles que são capazes de mudar de perspectiva podem agir humanamente. Portanto, lidamos com muitos tópicos, como a morte de uma pessoa amada, o transtorno borderline de uma namorada, o desamparo de uma criança no sistema, etc. – sempre da perspectiva da própria pessoa. Musicalmente, isso pode ser encontrado, por exemplo, em “Wind” ou “Drowning”. Aqui encontram-se diálogos nas linhas da melodia e no canto que tentamos apoiar com um arranjo.»

Sonoridade e referências: «Experimentámos muito no início, mas rapidamente concordámos com o som básico que queríamos para Nevaria. A ‘melodia’ estava muito em primeiro plano, tanto na instrumentação como nas linhas vocais. Decidimos muito conscientemente contra as partes bombásticas da orquestra, mas trabalhamos muito com teclados. Uma decisão deliberada para uma instrumentação mais clássica, que podemos reproduzir no palco sem muitos samples e backing tracks. Descrevemos o nosso estilo como symphonic melodic metal. Foi surpreendente que a pequena palavra ‘sinfónico’ tenha explodido mesmo nas nossas caras durante as primeiras críticas, porque, na cabeça das pessoas, parece que isso só está relacionado a orquestras e a coros… Para nós, não foi o caso. Como referência musical, temos Delain e Beyond the Black, pois temos a impressão de que essas bandas também têm prioridades semelhantes em grande parte.»

Review: É com uma produção quente e profissional que estes alemães fronteados pela voz de Tanja Schneider se apresentam à indústria através da estreia “Finally Free” (2019). Faixas como “Life” introduzem a banda de forma excelente ao termos uma composição melódica e sinfónica que, pelo caminho, encontra o equilíbrio certo entre suavidade (voz) e peso (guitarras). Se há quem acha que, erroneamente (dizemos nós), o symphonic metal pode estar a passar por uma fase de estagnação, então Nevaria é uma boa banda que, vinda do underground, pode esclarecer algumas dúvidas.