Ao quarto álbum, os Moloken prometem o seu trabalho mais intenso e agressivo no campo do progressivo inserido no post-metal. Moloken: purificação da negatividade

Origem: Suécia
Género: post-metal
Último lançamento: “Unveilance of Dark Matter” (2020)
Editora: The Sign Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: Diogo Ferreira | Review: João Correia

Ao quarto álbum, os Moloken prometem o seu trabalho mais intenso e agressivo no campo do progressivo inserido no post-metal.

«A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional!»

O que esperar: «Os nossos fãs podem esperar o nosso álbum mais intenso, up-tempo, progressivo e agressivo até agora. Músicas cativantes mais curtas e directas, sem perder a originalidade ou o nosso estado de espírito ou coragem únicos. Queríamos mostrar a nossa gama de expressões e estamos muito orgulhosos do novo disco.»

Conceito: «Esta é a segunda parte da trilogia “Mörkets Kärna”. O conceito principal passa por expressar todos os lados sombrios, pensamentos obscuros e indesejados. Para te purificares da negatividade, para que possas abandonar e seguir em frente. A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional!»

Sonoridade: «Os Moloken têm um som de baixo pesado com bateria complexa e melodias assombrosas de guitarra. É claro que tudo evolui, mas, olhando para trás, o nosso som permanece intacto.»

Review: Musicalmente, os suecos Moloken são difíceis de descrever, mas não mentimos se dissermos que praticam metal, avant-garde, sludge, post-metal, hardcore, experimental e noise. “Unbearable” é um diamante como poucos no género, um tema que consegue criar interesse, que não cai no tédio típico de tantas bandas de post-metal, que é espontâneo e claramente inspirado. Ao fim de  pelo menos 648 audições, continuamos confusos, mas os Moloken soam bem, são originais e confortáveis de ouvir.