Salvo raros momentos, ficamos com a impressão de que estamos perante uma daquelas jams intermináveis de algumas bandas de soft prog. Talvez depois dos... Molassess “Through the Hollow”

Editora: Season Of Mist
Data de lançamento: 16.10.2020
Género: rock / psicadélico
Nota: 2.5/5

Salvo raros momentos, ficamos com a impressão de que estamos perante uma daquelas jams intermináveis de algumas bandas de soft prog. Talvez depois dos temas ganharem alguma rodagem sejamos surpreendidos – os mais atmosféricos mostram o caminho a seguir.

“Through the Hollow” é o primeiro álbum dos holandeses Molassess numa comovente homenagem a um local hero da comunidade metálica, Selim Lemouchi (1980-2014), guitarrista e líder fundador da banda ocultista de doom metal The Devil’s Blood, um projecto partilhado, entre 2007 e 2013, com a irmã, Farida Lemouchi, a alma dos novos Molassess. Durante esse período, o grupo gravou três álbuns e uns quantos singles e EPs. Apesar da curta carreira, que inclui a lendária estreia ao vivo na edição de 2008 do mítico festival Roadburn, a banda assegurou ao segundo álbum um contrato de distribuição nos EUA via Metal Blade, do qual resultou a digressão ao lado dos suecos Watain e dos polacos Behemoth, promovida pela Decibel Magazine em 2012. No início de 2013, o projecto anunciou publicamente o fim da sua actividade, simultaneamente com a edição do terceiro álbum. Durante esse ano, dedicou-se a um novo projecto – Selim Lemouchi & His Enemies –, com o qual gravou um EP e o álbum “Earth Air Fire Spirit Water”, em que o tema “Molassess” está incluído e que serviu de inspiração à irmã Farida Lemouchi para o actual projecto. Selim suicidou-se a 4 de Março de 2014, na sequência de uma existência conturbada por depressões regulares e pelo abuso de drogas. Tinha 33 anos.

A história de “Through the Hollow” está intimamente ligada ao Roadburn, e à memória de Selim Lemouchi, tal como os ex-músicos de The Devil’s Blood reunidos na formação de Molassess e dos seus projectos paralelos: Astrosoniq, Birth Of Joy, Donnerwerter, entre outros. A organização do Roadburn encomendou aos ex-companheiros do falecido músico que se apresentassem na edição do festival de 2019 para celebrarem o legado de The Devil’s Blood e para homenagearem o seu líder no quinto aniversário do seu desaparecimento. Foi com essa motivação que os guitarristas Oeds Beydals e Ron van Herpen, o baixista Job van de Zande, o baterista Bob Hogenelst e o teclista Matthijs Stronks se juntaram à voz de Farida Lemouchi. Desse encontro e da correspondente gravação do single “‘Mourning Haze / Drops Of Sunlight”, com a performance no Roadburn, nasceram os Molassess.

“Through the Hollow” é um álbum simpático e muito honroso para a memória do músico homenageado. É um álbum de luto, negro e contemplativo, que peca pela duração demasiado longa, com 65 minutos. Esta gravação apresenta nove canções marcadas pela dor e pela tristeza duma ausência que o colectivo parece não ter ainda bem resolvida. Os primeiros onze minutos do alinhamento servem para apresentar a faixa que dá título ao disco e desvendar o que nos espera: um cocktail morno de heavy rock setentista assombrado por uma aura negra, com apontamentos do rock progressivo e divagações jazzísticas, com algum psicadelismo à mistura. É nesta toada, à medida que os temas vão alternando, que o álbum evolui, fazendo variar mais ou menos as orientações musicais acima referidas. Salvo raros momentos, ficamos com a impressão de que estamos perante uma daquelas jams intermináveis de algumas bandas de soft prog. As faixas assemelham-se muito umas às outras. Falta profundidade a estas composições demasiado vagas, por isso nos dispersamos, evadindo-nos facilmente durante a escuta. Ainda assim, há que reconhecer o potencial das interpretações de Farida Lemouchi e acreditar que no futuro possa ser explorado de forma a valorizar o seu contributo. A banda é composta por músicos experientes, como se percebe, mas falta aqui alguma consistência. Talvez depois dos temas ganharem alguma rodagem sejamos surpreendidos – os mais atmosféricos mostram o caminho a seguir.