Veteranos da velha guarda nas lides do heavy metal, os australianos LORD apresentam um som caracteristicamente clássico e sem barreiras estilísticas. LORD: lordes do metal

Origem: Austrália
Género:  heavy metal
Último lançamento: “Fallen Idols” (2019)
Editora: Dominus Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: João Correia | Review: Diogo Ferreira

Veteranos da velha guarda nas lides do heavy metal, os australianos LORD apresentam um som caracteristicamente clássico e sem barreiras estilísticas.

“Esta banda nunca teve problemas em misturar rock melódico com metal extremo e qualquer variação entre ambos.”

O que esperar: «Quando nos preparávamos para começar a trabalhar no que se tornaria o álbum “Fallen Idols”, inevitavelmente surgiram conversas para discutir em que direcção queríamos seguir. No passado, elaborávamos uma ideia geral do que queríamos fazer, mas os planos eram sempre descartados e os álbuns evoluíram naturalmente. Desta vez, no entanto, sentimos a necessidade de fazer um disco que nós gostássemos de ouvir, como se fôssemos fãs e artistas. Durante a maior parte da nossa carreira, tivemos uma abordagem muito aberta em relação a estilos. Esta banda nunca teve problemas em misturar rock melódico com metal extremo e qualquer variação entre ambos. Essa ideia de diversidade sempre esteve presente em nós desde o primeiro dia.»

Conceito: «Lembramo-nos das festas de quintal, onde as nossas aparelhagens tocavam músicas de todos os tipos de rock e metal, uma mistura de estilos que nunca foram questionados: era “tudo metal” para nós, fosse Bon Jovi, fosse Bathory. Os subgéneros ainda não existiam ou simplesmente não importavam. O mais importante era como essa música nos fazia sentir na altura. Queríamos capturar essa vibração neste álbum. E se não houvesse um legado musical que produzimos antes disso? E se esse fosse o nosso primeiro álbum e se os álbuns anteriores que lançámos fossem apenas álbuns que poderiam ser de qualquer artista que gostamos de ouvir? Quais foram as coisas que ouvimos ao crescer e que nos deram “essa” sensação? Que se lixem os estilos e modas. Escrevemos o que gostamos, lembrando-nos do ambiente e da sensação “tudo é metal” daquelas cassettes-compilação, daquelas festas de quintal, daquelas músicas que fizeram de nós o que somos hoje. “Fallen Idols” não é um álbum conceitual, mas possui um verdadeiro tema de nostalgia. Não é nostalgia triste ou melancólica, a querer recriar os anos 80, antes uma anuição aos dias em que a música falava mais alto.»

Influências: «Adoramos todos os estilos de metal e misturamos as nossas partes preferidas de metal ao som do SENHOR. Incorporamos tudo, desde power metal e heavy metal tradicional até thrash, death melódico, blackened thrash e muito mais. As nossas influências variam de Queensrÿche e Helloween a Symphony X, Nevermore, Soilwork, Slayer, Kreator e muito mais.»

Review: Com fundação em 2003, este colectivo australiano não pára de lançar discos desde então e 2019 viu a chegada do sexto “Fallen Idols”. Com uma capa capaz de misturar HP Lovecraft e Kubrick, o som deste trio centra-se num power/heavy metal melódico e moderno que nos agarra imediatamente devido à sua contemporaneidade e criatividade cativante, como se pode ouvir em faixas como a épica “Chaos Raining”. Não se engane quem achar que Lord não é para ouvidos duros – muito pelo contrário, até os adeptos de tons mais negros ficarão boquiabertos.