Influenciados por gigantes do heavy metal como Iron Maiden e Judas Priest, os norte-americanos Living Darkness executam um metal tradicional mais... Living Darkness: trilhos na escuridão

Origem: EUA
Género: heavy metal
Último lançamento: “The Bishop” (2020)
Editora: Metal Assault Records
Links: Facebook | Instagram

Influenciados por gigantes do heavy metal como Iron Maiden e Judas Priest, os norte-americanos Living Darkness executam um metal tradicional mais agressivo do que o normal. “The Bishop” é o álbum de estreia.

«As nossas letras e riffs podem variar do pesado ao agridoce – como a própria vida.»

A estreia: «Somos influenciados pelos mestres do heavy metal. Bandas como Judas Priest, Megadeth, Iron Maiden, Black Sabbath, Slayer, Pantera, Metallica. Todas as bandas incríveis que deram vida, força e impulso ao que conhecemos como heavy metal. Ao ouvirem o nosso álbum “The Bishop”, notarão essas influências de certeza. O nosso objectivo não era soar a uma banda específica, queríamos estabelecer Living Darkness como uma banda que tem o seu próprio som, mas sem medo de nos inspirarmos em todos os lendários gigantes do metal. Achamos que nos saímos muito bem ao estabelecer isso na nossa estreia.»

Conceito: «Living Darkness consiste em muitos significados musicais poéticos e metafóricos. A vida nem sempre é alegria e nem sempre é raiva, mas às vezes tens de aprender a desembaraçar-te na escuridão em vez de fugir e ter medo. Aprende a domesticar a escuridão e encontrarás liberdade. As nossas letras e riffs podem variar do pesado ao agridoce – como a própria vida.»

Sonoridade: «Vemos a nossa música como uma pintura. Se tiveres apenas um pincel e uma cor, ficarás limitado no que podes oferecer ao observador. Com Living Darkness certificamo-nos que reunimos o máximo possível de cores e pincéis enquanto mantemos a nossa pintura num estado simultâneo. Nem todas as nossas músicas soam iguais, mas todas vêm do mesmo universo musical. Isso, na nossa opinião, é o que mantém as bandas interessantes.»

Review: O heavy metal norte-americano sempre foi mais rijo e cru do que o britânico, e é isso que os Living Darkness continuam a representar. Claro que as bases da NWOBHM estão lá, mas, no caso desta banda, o metal tradicional ganha mais agressividade, especialmente se atentarmos às guitarras, tanto nos riffs que dão estrutura às músicas como nas secções reservadas aos solos em que o shredding ocupa grande território. Pelo meio, podemos ainda vislumbrar abordagens ao thrash metal e ao groove metal. Se és alguém que procura constantemente por bandas do underground heavy metal, então Living Darkness é a tua nova experiência.