Fortemente influenciados pelos anos 1990, os norte-americanos Inquinok oferecem-nos black metal sinfónico nocturno, gelado e fantasmagórico. Inquinok: terror nocturno

Género: black metal
Origem: EUA
Último lançamento: “The Hallowed Shall Serve” (EP, 2019)
Editora: Immortal Dawn Productions
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Fortemente influenciados pelos anos 1990, os norte-americanos Inquinok oferecem-nos black metal sinfónico nocturno, gelado e fantasmagórico.

«Acho que este é o material mais focado que Inquinok já lançou.»

“The Hallowed Shall Serve”: «Queria criar um lançamento com o material que tinha escrito nos últimos anos, que se encaixasse numa atmosfera particular. É um bocado como regressar ao black metal sinfónico que me influenciou fortemente nos anos 1990 / início dos anos 2000, e é também mais focado em temas. Acho que este é o material mais focado que Inquinok já lançou, com quase todas as músicas a terem algum tipo de tema para se encaixar no conceito.»

Conceito: «Conceptualmente, a maioria do álbum é sobre uma nação ou sociedade que, por desespero, sucumbe a um tipo de culto e sistema de crença, levando tudo à destruição.»

Evolução: «Nos primórdios (por volta de 2000), a música era muito mais híbrida entre o death metal melódico e algumas influências do black metal, bem como heavy metal em geral. No momento em que a primeira formação real se desenvolveu, começámos a mover-nos em direcção ao black metal e ao black metal sinfónico como estilos principais e atmosfera que dominou Inquinok. Quando a nossa demo saiu em 2003, começámos a ter um som symphonic black metal mais definido, embora ainda houvesse uma boa mistura de influências.»

Influências: «Algumas das bandas de black metal, especialmente as dos anos 1990, que me influenciaram são Emperor, Dissection, Satyricon, Immortal, Dimmu Borgir e Dark Funeral. Também sou fortemente influenciado pela música sinfónica no geral, bandas-sonoras e música clássica.»

Futuro: «Estamos a ver se tocamos em alguns festivais e estamos a trabalhar na gravação de material para outro álbum.»

Review: Com o EP recentemente lançado, este projecto norte-americano envereda por um black metal extremamente gelado e fantasmagórico muito à custa da adição de ambiências nocturnas oriundas de teclados, da melodia obscura omnipresente das guitarras e da voz muitas vezes sardónica. Nota positiva para os leads de Krelian e para o clímax de faixas como “Night Terror”. Indicado para fãs de Diabolical Masquerade.