Com o seu álbum de estreia, os Halls Of Oblivion submetem o ouvinte a uma mescla de death metal muito melódico e sinfónico q.b.,... Halls of Oblivion: poesia do fim dos tempos
Fotografia: Max Hasselgruber

Origem: Alemanha
Género: death metal melódico
Último lançamento: ”Endtime Poetry” (2019)
Editora: Metalapolis Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista | Review: João Correia | Diogo Ferreira

Com o seu álbum de estreia, os Halls Of Oblivion submetem o ouvinte a uma mescla de death metal muito melódico e sinfónico q.b., sempre com pinceladas de doom e black metal que circulam livremente ao longo do disco.

«Escrevemos sobre coisas que nos incomodam, que nos tocam, que nos impressionam e que nos emocionam.»

O que esperar: «”Endtime Poetry” é o nosso disco de estreia. Queríamos criar um álbum que representasse o nosso estilo pessoal de música. Podem contar com uma abordagem mais sombria e melancólica de death metal melódico do que é normal neste género. A inclusão de black e doom metal dá ao disco um toque mais pesado e mais atmosférico do que é habitual. Se gostam de sombrio e melancólico, mas ao mesmo tempo de música pesada e vozes agressivas, este é o disco certo para vocês.»

Conceito: «Embora “Endtime Poetry” não seja um registo conceitual, os temas líricos são bastante consistentes. Como mencionado anteriormente, as letras revolvem principalmente à volta de experiências e perdas pessoais, injustiça política e social, bem como os lados maus da humanidade. Escrevemos sobre coisas que nos incomodam, que nos tocam, que nos impressionam e que nos emocionam. Musicalmente, tentamos criar uma atmosfera que represente o tópico lírico da música. Assim, todas as músicas criam a sua própria imagem harmónica que te transporta e conta toda a história. Em última análise, “Endtime Poetry” é um álbum muito pessoal que fala dos nossos corações.»

Influências: Os Halls of Oblivion foram originalmente concebidos com a ideia de criar um tipo pesado e triste de doom metal. Ao longo dos anos, conseguimos refinar o nosso estilo via experiências pessoais e comuns. Desde então, tornou-se cada vez mais aparente o que nosso estilo pessoal define: uma mistura mais pacífica do que o death metal melódico, mais melódica do que o black metal, mais harmónica do que o death metal – mas sem perder a agressividade e o peso desses estilos. As nossas criações musicais representam um ambiente cruel e triste. Como referências musicais, gostamos de citar Insomnium, Dark Tranquility, Wolfheart e Be’Lakor.»

Review: “Endtime Poetry” é o primeiro-longa duração desta banda germânica e inclui composições que florescem algures entre death metal melódico e doom metal igualmente melodioso. A bonita melancolia de temas como “Last Glance of the Sun” é um dos pontos fulcrais do trabalho do grupo e é capaz de nos fazer afogar na escuridão enquanto ouvimos o choro das guitarras e a agonia do berro, sem esquecermos os segmentos calmos e tristes.