Do império do sol nascente chegam os Graupel, quinteto japonês que, com o seu disco de estreia, respeitam a tradição nipónica de perpetuar o... Graupel: a subtileza dos martelos

Origem: Japão
Género: metalcore
Último lançamento: “Bereavement” (2018)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: João Correia | Review: Diogo Ferreira

Do império do sol nascente chegam os Graupel, quinteto japonês que, com o seu disco de estreia, respeitam a tradição nipónica de perpetuar o metalcore de alta qualidade.

«(…) tentaremos misturar mais sons cinematográficos e ambientais, influenciados por artistas como Brian Eno, Hans Zimmer e Ryuichi Sakamoto.»

O que esperar: «Como este é o nosso primeiro álbum, o nosso objectivo com “Bereavement” é fazer com que todos conheçam a nossa música.»

Conceito: «No álbum, expressamos constantemente a distância e a separação de coisas e pessoas importantes.»

Influências: «Somos influenciados por bandas tradicionais de metalcore como Parkway Drive e I Killed The Prom Queen. No próximo single tentaremos misturar mais sons cinematográficos e ambientais, influenciados por artistas como Brian Eno, Hans Zimmer e Ryuichi Sakamoto.»

Review: Tens ideia de uma daquelas tuas músicas favoritas que começam com tudo o que há para dar? Com um grito excelente e com uma explosão sonora em suporte? Ouvir o tema-título de “Bereavement” (LP lançado em Julho de 2019) dá essa sensação, a de termos aqui uma música que possivelmente entrará para o top de melhores introduções na nossa playlist. De resto, esta banda japonesa interpreta um metalcore muito interessante e com bastante precisão técnica que bebe imenso do death metal melódico europeu. Excitante é, talvez, a melhor palavra para descrever os Graupel.