Com uma já longa carreira, que fora iniciada em 2003, os Evadne decidiram recuperar o passado já depois de terem lançado três LPs e... Evadne: novas almas sempre condenadas

Origem: Espanha
Género: doom/death metal
Último lançamento: “Dethroned of Our Souls” (compilação, 2019)
Editora: Funere
Links: Facebook | Bandcamp #1 | Bandcamp #2
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Com uma já longa carreira, que fora iniciada em 2003, os Evadne decidiram recuperar o passado já depois de terem lançado três LPs e um EP. Isto significa que os espanhóis pegaram na primeiro demo “In the Bitterness of Our Souls” (2004) e deram-lhe uma nova vida através de um processo de remasterização. Para além disso, incluíram ainda material raro, que será um deleite para os fãs mais devotos.

«Estamos felizes com a evolução da sonoridade, porque procuramos novos sons e novos sentimentos na música.»

No que consiste esta nova compilação?
O nosso último lançamento é uma compilação que inclui material raro como sessão ao vivo. Contém uma versão da música dos Officium Triste, “Like Atlas”, e o nosso primeiro lançamento “In the Bitterness of Our Souls” remasterizado, que esgotou há muito tempo. É tudo material por lançar e queremos lançá-lo.

É possível encontrar algum tipo de conceito num lançamento como uma compilação?
Não há conceito nesta compilação, o que é raro, porque nos nossos álbuns tentamos andar sempre à volta de uma ideia, mas, neste caso, há ideias diferentes de todos os momentos da banda.

Que referências musicais têm e como se sentem com a evolução da vossa sonoridade?
As nossas referências musicais são muito diferentes no seio da banda, portanto podemos usar um pouco de cada parte para compilar o estilo dos Evadne. Podemos mencionar bandas como Amorphis, Insomnium, My Dying Bride, Anathema, Swallow the Sun ou bandas clássicas, como Kreator, Death, Slayer. Temos um pouco de cada. Estamos felizes com a evolução da sonoridade, porque procuramos novos sons e novos sentimentos na música, mas sem perder o espírito de Evadne. Para o novo álbum, podem esperar por um passo adiante no som e na composição, mas conseguirão reconhecer Evadne no momento.

Review: Depois de três LPs e um EP, os Evadne decidiram fechar um capítulo antigo que permanecia semi-aberto. Isto é, com a evolução da sonoridade e das habilidades, os espanhóis pretenderam recuperar a demo de 2004 para lhe darem uma nova roupagem ao remasterizarem o seu doom/death metal inicial muito influenciado em bandas como My Dying Bride. Esperem por tristeza e pesar desmesurado, tudo em doses certas de melancolia. Fãs de Mournful Congregation também serão certamente bem-vindos a comungar neste funeral.