Oriundos da Polónia, os Ethereal Exile inspiram-se no death metal sueco, baseando o seu som em brutalidade e riffs honestos. Ethereal Exile: alma sem tempo e fronteiras

Origem: Polónia
Género: melodic death metal
Último lançamento: “Soul Beyond Time” (2020)
Editora: independente
Links: Instagram | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Oriundos da Polónia, os Ethereal Exile inspiram-se no death metal sueco, baseando o seu som em brutalidade e riffs honestos.

«Queremos uma mensagem honesta.»

Último lançamento: «”Soul Beyond Time” é o começo do nosso caminho musical como Ethereal Exile, banda fundada pela vocalista Aurora. É o primeiro passo para a nossa jornada comum, que transformará as nossas várias experiências e inspirações em energia na forma de música. Queremos uma mensagem honesta e é isso que se pode esperar de “Soul Beyond Time”.»

Conceito: «O conceito refere-se ao nosso próprio interior, a essência, que é um elemento importante para nós. O álbum foi criado sem seguir as tendências, assumindo o som bruto baseado em riffs. O título indica uma Alma que não está sujeita às marcas do tempo e que está livre das doutrinas do mundo criadas pelas visões dos outros. De pé do outro lado do espelho e esperem o inesperado.»

Sonoridade: «O nosso som actual também é um começo simbólico, uma referência à nossa inspiração – o metal sueco –, ao mesmo tempo que tentamos reflectir o nosso carácter. As próximas etapas serão um progresso a partir do ponto de partida da nossa jornada com “Soul Beyond Time”.»

Review: Vêm da Polónia mas soam a Suécia. Pois bem, o que os Ethereal Exile nos oferecem é death metal melódico meticuloso, com rapidez e com noções perfeitas da origem da música que criam. Para fãs de At the Gates, mas também para apreciadores de Dark Tranquillity antigo, este trio é uma novidade a ter muito em conta se continuas a gostar de redescobrir na actualidade o melodeath que explodiu primeiramente há 30 anos.