Sete anos depois da estreia em álbuns, os Enchantya reapareceram com "On Light and Wrath", um trabalho que possui uma evolução criativa exponencial. Enchantya: uma luz furiosa

Origem: Portugal
Género: gothic/symphonic metal
Último lançamento: “On Light and Wrath” (2019)
Editora: Inverse Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: Diogo Ferreira | Review: João Correia

Sete anos depois da estreia em álbuns, os Enchantya reapareceram com “On Light and Wrath”, um trabalho que possui uma evolução criativa exponencial.

«“On Light and Wrath” é uma viagem sonora que permanece com o ouvinte bem depois de soar a última nota.»

Objectivos: «O nosso objectivo é chegar às pessoas com a nossa música e mensagens das nossas letras. Para isso achamos fundamental trazer este álbum para os palcos com a presença de um coro que também tem actores. Os nossos concertos beneficiam, sempre que seja possível, de um espectáculo teatral entre os músicos da banda e o coro que interage e representa histórias no conceito dos temas abordados no álbum. Pretendemos assim proporcionar uma experiência musical e visual para o público vivenciar mais plenamente o nosso álbum.»

Conceito: «”On Light and Wrath” é um ensaio musical sobre os dois extremos da psique humana e a luta pelo seu equilíbrio tanto a nível interno como externo. Permanecendo fiel às suas raízes musicais, os Enchantya exploram e experimentam dentro das suas várias influências, lançando com este trabalho tanto os seus temas mais pesados e bombásticos de sempre como as paisagens sonoras mais calmas e ambientais da sua carreira. Incluindo passagens por hinos de revolução, tragédias românticas e contos negros, “On Light and Wrath” é uma viagem sonora que permanece com o ouvinte bem depois de soar a última nota.»

Evolução: «O nosso som passou de metal sinfónico, com referências em Nightwish e Within Temptation, para algo mais pesado, mais elaborado e sempre com riqueza de solos, relembrando a dinâmica do metal old-school nesse aspecto. Um dos pontos fulcrais da nossa banda é a versatilidade vocal da Rute Fevereiro, que canta desde registos operáticos a guturais.»

Review: Quando nos perguntam em desafio por nomes de bandas nacionais boas, preferimos sempre nomear bandas excelentes. É o caso dos Enchantya. Acólitos do heavy/gothic metal sinfónico e épico, com “On Light And Wrath”, a banda cresceu demais para o tamanho do país. “Last Moon Of March” é um tira-teimas absoluto – a voz claramente erudita de Rute Fevereiro complementa uma secção rítmica e sinfónica de sonho, e que faz sonhar. Nada ficando a dever a qualquer banda de topo mundial do género, os Enchantya são motivo de orgulho nacional.