Os Dreamarcher são verdadeiramente o maior exemplo da inteligência e criatividade que existe no metal contemporâneo. Dreamarcher “The Bond”

Editora: Indie Recordings
Data de lançamento: 27.09.2019
Género: prog metal
Nota: 4.5/5

Os Dreamarcher, provenientes da Costa Oeste da Noruega, já chamaram à atenção do público e da crítica com o seu álbum de estreia homónimo, lançado em 2016. De certa maneira, o grupo norueguês tornou o metal progressivo experimental em algo muito trendy, combinando uma certa beleza obscura com uma melancolia inteligente que nos faz pensar e escutar com muita atenção as reflexões instrumentais e vocais de uma das bandas mais promissoras do rock e metal progressivo. A receita é desta vez melhorada no seu segundo álbum de originais, “The Bond”.

Donos de um som peculiar que mistura diversos géneros, desde o rock ao dark metal e ao black metal mais sombrio, a conjunção de vocais limpos e guturais continua a ser a preferência dos noruegueses que têm neste disco a sua maior referência discográfica até à data. Os ainda jovens artistas têm diversas influências e, estranhamente, essas mesmas influências são incluídas em cada um dos seus lançamentos.

Em grande parte, “The Bond” tem uma tendência mais acelerada e não tão reflexiva como o álbum homónimo e o EP “Harding”, lançado em 2018. No entanto, as letras continuam a ter uma perspectiva mais esperançosa da vida e até mais positiva na sua maioria. Denotam-se ainda as maiores diferenças de género sobretudo quando se ouvem as faixas mais abrasivas e rápidas, como o excelente exemplo da espcetacular “A Fail of Design” e a intensa “From Which We Came”. Apesar de tudo isto, este segundo disco de originais mantém o experimentalismo como uma das suas grandes armas, introduzindo um ambiente mais hipnótico e reflexivo com as pontes instrumentais “Folgefonna I” e “Folgefonna II”, que são muito bem sustentadas pela favorita “Black Water” e a intrincada “Dominance” que inicia o encerramento do álbum. Por contraposição, a faixa de abertura “Coal” apresenta uma banda mais rápida e mais hardcore com composições mais pessimistas e até mais cáusticas e um arranjo instrumental mais poderoso e imparável, quase como um grito de socorro que necessitava de ser escutado.

Os Dreamarcher são verdadeiramente o maior exemplo da inteligência e criatividade que existe no metal contemporâneo, apresentando uma diversidade de estilos e géneros musicais ímpar e que os transporta para um ambiente realmente estratosférico, tendo a banda norueguesa a rara qualidade de juntar componentes melódicas com sons mais hardcore e mais sombrios. No entanto, o quarteto de jovens não parece ter terminado por aqui e o potencial é realmente imenso. Desde 2016 que vêm lançando trabalhos, uns melhores do que outros, sempre em crescendo, e o experimentalismo é uma arma que complementa a variedade de sons, incluindo-o nos diversos géneros que estão presentes nos seus lançamentos, seja ele o metal progressivo, o rock progressivo, o black metal, o hardcore ou até dark ambient.