Ainda promover o EP de 2018, os Draghoria já estão a trabalhar no segundo LP que deverá ser lançado em 2020. Draghoria: era de renovação

Género: thrash metal
Origem: EUA
Último lançamento: “Thrash A.D.” (EP, 2018)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Ainda promover o EP de 2018, os Draghoria já estão a trabalhar no segundo LP que deverá ser lançado em 2020.

«Quisemos refrescar o revivalismo do thrash metal.»

“Thrash A.D.”: «Com o nosso EP quisemos refrescar o revivalismo do thrash metal, daí o título.»

Objectivos: «A ideia era conseguir o máximo de ouvidos para aumentar a nossa marca e espalhar a palavra dos Draghoria, da nossa cena local para todo o mundo.»

Evolução: «Crescemos nestes cinco anos, desde uma banda de thrash com algumas peças de death metal até o thrash metal que te dá um soco na cara.»

Influências: «Porque todos crescemos com influências no thrash metal, o Big 4 aparece primeiro: Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax. Mas também há Testament, Exodus, Forbidden, Death e até Al Di Meola. Quanto a novas influências, vamos até Havok, Violator, Ultra Violence, Warbringer e Evile.»

Futuro: «Vamos lançar um longa-duração em 2020. O álbum está em andamento e, pelo menos, nove músicas foram escritas. Estamos ansiosos para ir onde vocês estão, tocar e mostrar do que Draghoria é feito!»

Review: Velocidade, energia, honestidade, atitude incansável – tudo o que se quer numa banda thrash metal, e estes norte-americanos são senhores destas qualidades. Sem espaço para pausas, a força renova-se a cada malha esgalhada, a cada drumming-roll debitado, a cada verso gritado. Com dois EPs e um LP na colecção, 2020 deverá ser o ano em que sai o segundo longa-duração do quinteto do Colorado, esperando-se que seja tão explosivo como o EP “Thrash A.D.”. Indicado para fãs de thrash metal que tenham uma veia death metal a latejar.