“A Dawn To Fear” consegue ser sombrio e cheio de esperança, enquanto nos leva numa viagem pelos confins dos sentimentos mais repulsivos ou amados... Cult Of Luna “A Dawn To Fear”

Editora: Metal Blade Records
Data de lançamento: 20.09.2019
Género: post-metal
Nota: 4.5/5

Os álbuns deste grupo sueco de post-metal tornaram-se já numa presença comum nas listas de lançamentos mais esperados do ano. Desde 1998, o sexteto tem surpreendido pela originalidade e uso criativo da sonoridade e atmosfera para criar um som quase horripilante e poderoso, muito apoiado por um vocal fortíssimo e arranjos melódicos que pendem muito para o doom metal. Nos últimos anos, os lançamentos dos Cult Of Luna têm tocado os fãs, sobretudo “Vertikal” e “Mariner”, este último principalmente pela sua vertente emocional e quase espiritual.

Ora, desde 6 de Maio deste ano, a primeira faixa do seu novo álbum “A Dawn To Fear” começou a criar uma expectativa ainda maior nos fãs, tornando este disco um dos lançamentos mais ansiados desde há muito tempo. “The Silent Man” foi uma excelente introdução mostrando uns Cult Of Luna na máxima forma, com riffs potentes e bem estruturados e um som bem mais progressivo.

“A Dawn To Fear” corresponde à expectativa desta faixa de apresentação – que curiosamente é a música de abertura –, conseguindo empolar o seu som para algo que junta, de forma exímia, os sons do progressivo, do doom e do sludge metal. Este oitavo disco de originais é um álbum independente, composto inteiramente pela banda de forma independente – uma experiência que traz a criatividade ao de cima e que destaca o melhor que o sexteto tem para apresentar.

Surpreendentemente – tendo em conta que este é um álbum independente –, os suecos conseguem manter as suas raízes doom e sludge metal enquanto se consegue preservar o ambiente melódico e emocional, bem como o conceito estrutural de “Vertikal” e “Mariner”, apanhando um pouco dos dois lançamentos. Johannes Persson descreveu este disco como «espontâneo», sobretudo em termos técnicos e de processo de composição; de tal forma, o grupo preferiu ter uma atitude diferente, não se prendendo a vícios do passado, tendo produzido um longa-duração variado e tecnicamente de qualidade muito superior. “A Dawn To Fear” consegue ser sombrio e cheio de esperança, enquanto nos leva numa viagem pelos confins dos sentimentos mais repulsivos ou amados por todos nós.

Os quase 80 minutos de música de “A Dawn To Fear” apresentam uma banda com vontade de continuar a apresentar-se aos fãs da maneira mais técnica possível. Quatro das faixas do álbum têm mais de dez minutos, mas tornam o disco mais dinâmico e rico, pois vão variando do post-metal ao sludge metal, sem nunca comprometeram a variedade de sentimentos que este lançamento apresenta, havendo alguns indícios de metal progressivo aqui e ali, bem como alguns sinais de post-rock que muitas vezes são abafados por vocais mais guturais. Os Cult Of Luna continuam a apostar nas músicas lentas, atmosféricas e repetitivas, continuando a dar forte importância à vertente instrumental e orquestral das suas composições. “A Dawn To Fear” é um álbum excelente, diversificado que traz ao de cima as raízes musicais do grupo, bem como a originalidade do sludge e metal progressivo, sem nunca deixar de lado a riqueza de sentimentos que nos fazem viajar por todo o tipo de emoções, desde a tristeza à esperança.