Corey Taylor diz que podia ver os Slipknot continuar mesmo se ele decidisse afastar-se dos pesos-pesados ​​do Iowa. O vocalista fez os comentários na... Corey Taylor (Slipknot): «Se eu não pudesse mais fazer isto, eu pararia, mas isso não significa que a banda pararia»

Corey Taylor diz que podia ver os Slipknot continuar mesmo se ele decidisse afastar-se dos pesos-pesados ​​do Iowa.

O vocalista fez os comentários na nova edição da revista Metal Hammer ao reflectir sobre quanto tempo a banda poderia continuar ao entrar-se na segunda década juntos.

Taylor diz: «Quero dizer, passou pela minha cabeça com o passar dos anos. Ficou mais difícil fazer isto. Pensas sobre quando é o fim. Ninguém pensou que faríamos isto 20 anos depois. Se eu simplesmente não pudesse mais fazer isto, eu simplesmente pararia, mas isso não significa que a banda pararia. Se eu não puder fazer isto, alguém pode tomar o meu lugar. Já pensei sobre isso antes: se a pessoa certa aparecesse e os rapazes estivessem nisso, então eu simplesmente sairia. Não podemos enganar ninguém.»

Quanto ao que a versão de 1999 de si mesmos pensaria se pudessem ver os Slipknot agora, Taylor diz: «Acho que eles ficariam surpresos por ainda estarmos a fazer isto. Eles olhavam para nós agora e ficariam felizes por termos mantido isto vivo. Vital, pungente, insano. Tudo o que passámos, a tragédia e o drama, e mantivemos o espírito da banda vivo. Nunca enfraquecemos nada, nunca tentamos fazer nada que não pareça o acertado. Esse é o objectivo dos Slipknot: fazer o que quiseres, mas fazê-lo a 100mph.»

A entrevista completa com Taylor e os seus colegas em Slipknot pode ser encontrada na nova edição da Metal Hammer, que já está à venda.

Os Slipknot são as estrelas da capa, com nove diferentes para coleccionar. A nova edição também vem com um art print exclusivo e um CD com versões cover dos Slipknot.

“We Are Not Kind” é lançado em 9 de Agosto através da Roadrunner Records.

Consultar artigo original em inglês.