É de thrash e death metal bem horrorífico que os Chalice são feitos. Chalice: terror disseminado

Origem: Bélgica
Género: death/thrash metal
Último lançamento: “Lost Connection” (EP, 2020)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

É de thrash e death metal bem horrorífico que os Chalice são feitos. Descobre-os imediatamente abaixo!

«Terror musical que transmite terror humano.»

Percurso: «Gravámos o “Lost Connection” como uma espécie de algo intermediário. O nosso lançamento anterior, “Ashes Of Hope”, é de Abril de 2018 e queríamos partilhar duas novas músicas fortes. Ainda não temos material novo que seja suficiente para gravar um próximo álbum completo; portanto, gravar estas duas músicas parecia a coisa certa a fazer-se. Isso mostra que ainda estamos vivos, as músicas mostram como progredimos e sublinham a nossa identidade.
Assim, as pessoas podem esperar duas novas músicas que captam o que Chalice representa: thrash/death metal duro e agressivo. Tentamos incorporar melodia ou harmonias sem perder velocidade ou agressão. Esses foram os principais motivos para lançar estas duas músicas. A propósito: a produção é muito 2020… As músicas e os arranjos são bem pensados e dedicámos algum tempo para fazer o mesmo em termos de produção.»

Conceito: «Antes de tudo, tocamos metal. Seja thrash, death, black ou uma mistura disso. Somos apaixonados por géneros em que possamos tocar rápido. Coisas agressivas e pesadas por um lado e partes melódicas por outro. As letras sempre foram sobre alienação, sentimentos de desconexão, raiva ou medos pessoais, sobre a fealdade da vida, sobre como a raça humana é o pior inimigo. A música que tocamos é a ferramenta perfeita para transmitir a nossa mensagem. É um terror musical que transmite terror humano.»

Referências: «As referências musicais, como às vezes é dito na imprensa, são os heróis melódicos suecos In Flames (inicial) e Dark Tranquillity.
Em termos sonoros, talvez hoje em dia sejamos menos old-school ou underground. Esforçamo-nos para ter uma produção limpa e dinâmica. Com Tony De Block e Andre Six, encontrámos dois parceiros que nos entendem e sabem o som que Chalice precisa.»

Review: Com pouco mais de 20 anos de existência, estes belgas têm alternado os seus lançamentos entre LPs e EPs, iniciando 2020 com o segundo formato. A sonoridade afiada do quinteto possui uma gama que vai do thrash ao death metal, sendo o primeiro mais evidente nas guitarras e o segundo nas vozes horripilantes que tanto são gritadas e aguçadas como, a tempos, conseguem também ser graves. Um bom exemplo desta explicação pode ser encontrado na faixa “Dwelling”.