Através das palavras do vocalista Mahmood ficamos a saber de que são feitos os Cerebral Invasion: uma força imparável de thrash... Cerebral Invasion: atacar pela raiz
Foto: Tom Row

Origem: Alemanha
Género: thrash metal
Último lançamento: “Cerebral Invasion” (EP, 2020)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp

Através das palavras do vocalista Mahmood ficamos a saber de que são feitos os Cerebral Invasion: uma força imparável de thrash metal inspirado pela Bay Area, com berros death metal, melodias heavy metal e raiva por um mundo em pedaços.

«Podem esperar ouvir a nossa verdade e um retrato da nossa raiva através de letras sombrias, berros ásperos e riffs rápidos combinados com alguma obra de arte brutal que completa a imagem e mostra às pessoas o que estava a acontecer nas nossas mentes quando escrevemos as músicas.»

O EP: «É o nosso primeiro grito raivoso para amaldiçoar este mundo f*dido.
Pessoalmente passei por muitas coisas na vida que me levaram a ver este mundo de uma forma muito negativa. Quase cheguei a um ponto sem retorno e precisava de uma maneira para libertar toda a raiva que cresceu em mim em relação a tudo e todos. Então, comecei a escrever esses pensamentos e a gritá-los como último recurso, para ser capaz de lidar com a situação em que estou e que resultou nesta banda.
Com a nossa música queremos que as pessoas vejam o mundo através dos nossos olhos para se compartilhar a nossa frustração e ódio por tudo. Tentamos passar a nossa mensagem mesmo que pela força – de certa forma, uma invasão à mente. Não estou a dizer que todos têm de concordar com o que dizemos. Esta é apenas a nossa maneira de ver as coisas com base nas nossas vidas e experiências, e, no final, cada um vê o mundo através de perspectivas diferentes.
Podem esperar ouvir a nossa verdade e um retrato da nossa raiva através de letras sombrias, berros ásperos e riffs rápidos combinados com alguma obra de arte brutal que completa a imagem e mostra às pessoas o que estava a acontecer nas nossas mentes quando escrevemos as músicas.»

Conceito: «Queríamos mostrar ao mundo o que somos capazes de fazer musicalmente. É por isso que cada música é diferente e feita de uma maneira que se encaixa na ideia principal. E, claro, a formação de cada um dos músicos teve um grande papel nisso. Cada um trouxe algo para a mesa durante o processo de composição, portanto há elementos de death na minha voz e thrash de uma forma técnica e brutal vindo das experiências do Dominik e do Stefan nas suas outras bandas.
Todas as minhas letras são a voz da crítica e da raiva contra este maldito mundo, são definitivamente uma autobiografia que mostra os meus pensamentos, lutas e raiva. Queria partilhar a minha visão deste mundo em diferentes aspectos, por isso escrevi sobre o meu ódio e frustração, sobre como vejo este mundo e as pessoas nele, o que penso da sociedade e como as pessoas estão a ser controladas e manipuladas, e expressei o meu desejo de vingança contra aqueles que roubaram a nossa liberdade. As letras podem ser sombrias e os títulos podem ser ásperos, mas era essa a minha intenção. Somos uma banda de thrash e queremos enfiar a nossa raiva na cara das pessoas através da nossa música. Às vezes tens de gritar para seres ouvido.»

Influências: «Somos influenciados pelo thrash da Bay Area – bandas como Megadeth, Metallica, Exodus, Testament e Death Angel tiveram uma grande influência na formação da nossa música. Adoramos essas bandas pela sua agressividade e capacidade de combinar tecnicismo com permanência melódica. Aspiramos atingir esse nível num futuro próximo. Megadeth, Sepultura e Slayer também influenciaram as minhas letras. A visão crítica que os Megadeth têm deste mundo, o espírito de rebelião dos Sepultura e o ódio e a raiva em Slayer são definitivamente elementos com os quais me identifico muito e que estou a mostrar nas minhas letras.
Quero agradecer por nos apoiarem e ajudarem a espalhar a nossa mensagem, e acho que nestes momentos estamos todos chateados e precisamos de expressar essa raiva.
Prometo mais um lançamento furioso este ano com algumas músicas distorcidas, e quando esta merda [a pandemia] acabar poderemos mostrar a nossa fome e paixão pelo metal como uma família.»

Review: O riff inicial de temas como “Brainwashed Into Madness” não deixa margem para dúvidas – Cerebral Invasion é thrash metal! Porém, também conseguimos absorver as bases do heavy metal, e a grande surpresa surge quando a voz entra em acção, formando-se também um ambiente death metal que agradará a fãs de Carcass. Bem produzido e bem executado, ouviremos também solos melodiosos e secções de lead bastante épicas. Para primeiro lançamento, esta banda alemã está muito bem encaminhada!