"Nug So Vile" apresenta onze temas a bordo de um comboio de alta-velocidade que abordam o horror e as bad-trips da marijuana com humor. Cannabis Corpse “Nug So Vile”

Editora: Season Of Mist
Data de lançamento: 01.11.2019
Género: death metal
Nota: 4/5

Os Cannabis Corpse retomam o caminho da pedra com o sétimo álbum “Nug So Vile”, agora em formato power-trio com a entrada do guitarrista Adam Gulliams. Se no anterior elegeram “Left Hand Path” dos Entombed, agora homenageiam, pela via do gozo, o clássico “None So Vile” dos canadianos Cryptopsy, dos quais recuperam “Blasphemy Made Flesh (hash)”, tema para o qual convidaram Brandon Ellis dos The Black Dahlia Murder. Outros dos visados pela desbunda dos irmãos Hall, qual Beavis & Butt-Head doSéc. XXI, são os Decapitaded, num dos temas que serviram de avanço ao álbum “Cylinders of Madness”, através da versão fraudulenta de “Spheres of Madness”. A encerrar encontra-se a interpretação a la Cannabis Corpse de “From Enslavement to Obliteration” dos Napalm Death.

Os Cannabis Corpse, projecto de stoner death metal, ou marijuana death metal para ser mais preciso, constituído pelos manos Hall, ou seja, por Phil ‘Landphil’ Hall (Municipal Waste, Iron Reagan) e Josh ‘Hallhammer’ Hall, proclamam a paródia e incentivam ao consumo regular da cannabis, procurando injectar algum humor e sarcasmo no mundo sisudo do death metal. Mesmo que os autores de “Nug So Vile” não se levem muito a sério, quer-nos parecer que o resultado desta amostra, para além de superiormente conseguido, é suficientemente surpreendente para justificar um lugar de destaque entre a fornada de 2019. E quem se insurgir contra o marijuana death metal incorre no mesmo erro dos puristas da sétima arte ao recusarem a aceitar o “Joker” de Joaquin Phoenix.

“Nug So Vile” apresenta onze temas a bordo de um comboio de alta-velocidade que contam o horror e as bad-trips da marijuana com humor. Phil Hall, que recentemente lançou o EP “The Last Rager!” pelos seus Municipal Waste, é o génio irrequieto e hiperactivo, que aqui corre o risco de passar também por incompreendido. No ano em que o mash-up de death metal sueco parodiou o discurso de Greta Thunberg, no video que gerou mais de quatro milhões de visualizações, tudo indica que o universo está preparado para a nova blasfémia dos Cannabis Corpse.

Legalize… Marijuana Death Metal!